Brazilian Times

Publicado em 24 / 01 / 2012

Na Itália, sobe para ao menos 16 número de mortos em naufrágio

As equipes de resgate que trabalham no navio Costa Concordia, na Itália, encontraram nesta terça-feira mais um corpo na embarcação

As equipes de resgate que trabalham no navio Costa Concordia, na Itália, encontraram nesta terça-feira mais um corpo na embarcação, que no dia 13 tombou perto do porto da Ilha de Giglio, segundo informou a defesa civil italiana.

Os bombeiros "recuperaram o corpo de uma pessoa no interior da ponte número 3 do barco", indicou a corporação em um comunicado, acrescentando que, com isso, o saldo da catástrofe se eleva a 16 mortos e 16 desaparecidos.

A nacionalidade e o sexo da pessoa encontrada ainda não foram reveladas, mas há relatos na imprensa italiana de que o corpo era de uma mulher.

O navio naufragou no dia 13, próximo à ilha de Giglio, na costa da Itália, após colidir com uma rocha, com mais de 4.200 pessoas a bordo, durante uma manobra supostamente não autorizada realizada pelo comandante Francesco Schettino.

Ontem, as equipes de resgate haviam encontrado mais dois corpos no quarto andar da embarcação, segundo o chefe da defesa civil italiana, Franco Gabrielli.

De acordo com Gabrielli, que supervisiona as operações, os corpos eram de duas mulheres e seus DNAs serão comparados aos dos DNAs coletados dos parentes das vítimas desaparecidas nos últimos dias.

COMBUSTÍVEL

A descoberta foi feita ao mesmo tempo em que uma grande plataforma carregando equipamentos chegaram À embarcação, sinalizando o início das operações preliminares para a remoção de mais de 2.000 toneladas de combustível dos tanques do navio.

Os mergulhadores da companhia holandesa Smit Salvage faz nesta terça-feira a primeira inspeção do navio Costa Concordia, encalhado nas proximidades da ilha italiana de Giglio, para iniciar o plano de extração das do combustível nos reservatórios.

A operação dos mergulhadores da Smit Salvage inclui uma descida a 20 metros para estudar as condições do casco antes de começar o isolamento do primeiro dos 17 tanques que serão esvaziados.

O chefe da Defesa Civil italiana, Franco Gabrielle, afirmou na segunda-feira em entrevista coletiva que o cruzeiro está estável, sustentado em três pontos por formações rochosas, por isso agora são consideradas seguras as tarefas de remoção do combustível.