Brazilian Times

Publicado em 09 / 05 / 2012

"Secure Communities" será ativado dia 15 de maio em MA

Mesmo toda a oposição do governador de Massachusetts, Deval Patrick, em impedir que o "Secure Communities" fosse implantado no estado, foi em vã. Na tarde desta terça-feira (08), funcionários federais do escritó

Responsive image

Luciano Sodré

Mesmo toda a oposição do governador de Massachusetts, Deval Patrick, em impedir que o "Secure Communities" fosse implantado no estado, foi em vã. Na tarde desta terça-feira (08), funcionários federais do escritório de Imigração informaram que o programa será implantado no dia 15 de maio, "com apoio o sem apoio dos políticos". No mesmo dia em que for ativado em Massachusetts, também será implantado em New York.

Com a ativação, os policiais terão que compartilhar, com o escritório da Imigração, todos os dados de pessoas abordadas no trânsito ou daquelas que estão detidas nas cadeias. Com isso estima-se que um grande número de imigrantes seja entregue aos agentes do Immigration and Customs Enforcement - ICE.

A partir do dia 15, qualquer imigrante que se envolver em acidente automobilístico, cometer alguma infração de trânsito ou ser abordado pela polícia por qualquer outra infração, terão suas impressões digitais coletadas e enviadas para agentes do ICE.

Para justificar a necessidade de implantar o programa em caráter de urgência, mesmo sem a aprovação de Deval Patrick, os funcionários do ICE citaram casos de norte-americanos mortes em acidentes de trânsito cometidos por imigrantes indocumentados e com antecedentes criminais.

Entre as citações está a morte de uma florista em Cape Cod, na semana passada, a qual foi atropelada por um imigrante que tinha seu visto expirado. Também foi falado sobre o caso de Matthew Denice, que morreu vítima de um acidente causado por um imigrante indocumentado e embriagado, em Milford, no ano passado.

Até o momento, apenas a cidade de Boston tinha adotado o programa em Massachusetts, mas com a notícia, todos os departamentos de polícia do estado terão que trabalhar em parceria com o ICE. A ideia era lançar o "Secure Communities" em 2013, mas os diretores da Imigração acharam melhor antecipar em virtude do crescente número de casos de mortes envolvendo imigrantes.

Quem festejou a decisão do ICE foi o xerife do Condado de Bristol, Thomas Hodgson, que elogiou a atitude dos diretores e salientou que "isso não foi apenas uma vitória como recompensa de sua luta, mas uma vitória das famílias que serão melhor protegidas de criminosos".

Hodgson faz parte de um grupo que há meses vem realizando reuniões e manifestos no sentido de pressionar o governador Deval a assinar a parceria com o programa. "Mesmo com todos as dificuldades que ele colocou em nosso caminho, nós vencemos", fala.

A preocupação de alguns ativistas é com os prejuízos que este programa causará ao estado, tanto financeiramente quanto em seu desenvolvimento social. Alguns grupos já preparam um grande manifesto para o dia do lançamento.

OPINIÕES

O pastor Walter Mourisso, membro/suplente do Conselho de Representantes de Brasileiros no Exterior (CRBE), ressalta que além disso, as famílias serão as mais prejudicadas. Ele cita que o programa promoverá a separação das pessoas com as deportações, além de obrigar muitos a iniciar uma nova vida."Tenho certeza que a implantação do programa gerará medo e alguns brasileiros deixarão o estado e desta forma terão que começar tudo do zero em um lugar diferente, longe dos amigos", lamenta. "Agora é a hora dos grupos e ativistas se unirem para evitar que a aplicação do programa prejudique a comunidade imigrante", fala concluindo que "se todos unirem as forças, com certeza essa atitude não irá adiante".

Benito Romero, o fundador da Casa do Brasil em New York, não acredita que o programa possa promover a perseguição por parte dos policiais aos imigrantes em NY. Isso porque o fluxo de turista é muito grande na região e isso seria um prejuízo enorme para a economia local. Ele também cita que todos os dias acontecem blitz policial na cidade em virtude do estado ser um alvo constante de terrorismo. Diante disso, os imigrantes que não têm documentos evitam dirigir. "Eu não acredito que a implantação do programa venha com força para nosso estado, pois tanto polícia quanto o prefeito possuem um vínculo forte com os imigrantes", finaliza.

Da mesma maneira pensa o presidente da Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL), João Arruda. Ele acredita que a implantação do programa prejudicará em muito o comércio brasileiro. "Mesmo assim é preciso esperar para ver o que acontecerá, antes de darmos qualquer opinião, pois temos o governador de Massachusetts é considerado "amigo dos imigrantes" e acredito que tentará impedir que isso aconteça.

Para justificar sua posição, ele lembra a recente visita de Deval Patrick ao Brasil, onde fechou várias parceirias para que brasileiros possam se estabelecer no estado e contribuir com o desenvolvimento. "Se a polícia ficar querendo checar o status de todo mundo, esta aliança com os comerciantes brasileiros poderá ser minada", explica. "Se caso for mesmo colocado em vigor, aconselho as nossos compatriotas a ficarem mais atento no trânsito, pois é aí que mora o perigo", conclui.