Publicado em 7/07/2017 as 1:40pm

Churrasco de brasileiros pode ter sido causa de incêndio em prédio de Everett (MA)

O terceiro andar ficou completamente destruído e quando o incêndio começou, algumas pessoas estavam no prédio.

Na manhã desta quinta-feira, dia 06, o carioca Jesse Branth, 49 anos, foi surpreendido quando estava em sua casa. Ele, que mora no terceiro andar de uma casa de três famílias na cidade de Everett (Massachusetts), ouviu barulho de madeira queimando e um forte cheiro de fumaça. Ao sair para ver o que estava acontecendo ele viu que o prédio estava em chamas e imediatamente saiu correndo. “Só deu tempo de pegar o meu Passaporte e a carteira”, disse.

Jesse, que é Especialista de Marketing e Mestre em Saúde Pública e Informática, gravou todo o incêndio e enquanto o corpo de bombeiros combatia as intensas chamas, ele explicava o que aconteceu. De acordo com a gravação, o fogo começou em uma churrasqueira na sacada de um andar inferior. “Eu já avisei o perigo de fazer churrasco na varanda, mas todos me ignoraram”, disse ele ressaltando que uma semana antes havia comunicado os bombeiros sobre o problema.

Enquanto explicava, o andar em que Jesse morava ia sendo totalmente consumido pelo fogo. “Perdi tudo. Não sobrou nada”, lamentava ele. “Mas graças a Deus estamos vivo”, se emociona ao falar do medo que sentiu ao ver as chamas. “É um horror, assustador”, disse.

Jesse diante do seu apartamento em chamas

Além de filmar, Jesse orientava alguns brasileiros que não falavam inglês para não se aproximarem do local por ordem dos bombeiros que cercaram a região para evitar que curiosos se machucassem.

Em dado momento da gravação, Jesse é obrigado a se afastar devido à intensa fumaça que tomou conta da rua. “Não dá para aguentar, está muito difícil de respirar”, disse.

Várias vezes, durante a gravação, Jesse deixou claro que o fogo começou em uma churrasqueira que foi esquecida acesa em uma varanda de um dos andares. Ele não citou qual andar, mas disse que foi após um churrasco feito por brasileiros. “Eu avisei”, repete.

O Brazilian Times tentou entrar em contato com Jesse para saber se ele ficará na casa de amigos ou receberá ajuda do governo. Mas ele não respondeu os nossos chamados e por isso não está certo se haverá campanha para ajudá-lo a recomeçar tudo de novo.

Fonte: Redação - Brazilian Times

Top News