Publicado em 16/08/2008 as 12:00am

Dilma alfineta tucanos e diz que "é dando que se recebe" acabou com Lula

A ministra Dilma Rousseff (Casa Civil) disse hoje em Curitiba que a distribuição de recursos para obras do PAC (Programa de Aceleração do Crescimento) não segue a política "do é dando que se recebe"

A ministra Dilma Rousseff (Casa Civil) disse hoje em Curitiba que a distribuição de recursos para obras do PAC (Programa de Aceleração do Crescimento) não segue a política "do é dando que se recebe".

Em alusão indireta ao governo Fernando Henrique Cardoso (1995-2002), a ministra afirmou que "aquela célebre frase do início dos anos 2000, do é dando que se recebe, não existe no governo Lula".

"Nós alteramos as formas políticas pelas quais os recursos são liberados. Eliminamos o clientelismo. A orientação é essa: jamais deixarmos de ser republicanos na distribuição de investimentos", afirmou a ministra, que viajou a Curitiba para participar da campanha da candidata do PT à prefeitura, Gleisi Hoffmann.

A ministra também defendeu a criação de uma estatal para gerenciar a exploração e a renda obtida com a extração de petróleo da camada do pré-sal. Os recursos, segundo ela, devem ser direcionados "para investimentos pesados em educação, para tornar a população equiparada com as dos países desenvolvidos".

Ela declarou encarar com "naturalidade" as críticas sobre a criação desta nova empresa. "Em todo o mundo o petróleo é um recurso eivado de conflitos", afirmou. "O direito de choro e do esperneio é normal."

A exemplo do presidente Luiz Inácio Lula da Silva, a ministra da Casa Civil disse que as discussões sobre eventuais mudanças na Lei de Anistia "são um assunto encerrado para o governo". "Como disse o ministro [Nelson] Jobim [da Defesa], é um assunto para o Judiciário", disse Dilma.

Fonte: (Folha Online)