Publicado em 3/12/2008 as 12:00am

Acordo entre Brasil e EUA amplia prazo de validade de vistos

Brasil e Estados Unidos fecharam um acordo para aumentar de cinco para dez anos o prazo de validade dos vistos de turismo e negócios entre os dois países

 

Brasil e Estados Unidos fecharam um acordo para aumentar de cinco para dez anos o prazo de validade dos vistos de turismo e negócios entre os dois países. A proposta foi fechada entre o ministro das Relações Exteriores, Celso Amorim, e o embaixador americano Clifford M. Sobel.

O medida só entrará em vigor depois que o Congresso aprovar um decreto legislativo aumentando o prazo para concessão de vistos. No entanto, os dois governos já deram o sinal verde para efetivar o acordo.

A ampliação do prazo de validade dos vistos faz parte do esforço americano para intensificar a ida de turistas aos Estados Unidos. Para o governo brasileiro, a medida também servirá para incrementar a entrada de americanos no país. A duração de dez anos não será novidade: até o fim da década de 1990 esse era o prazo dos vistos concedidos a brasileiros.

Para o deputado Otávio Leite (PSDB-RJ), da Comissão de Turismo da Câmara, aumentar o prazo de duração do visto é uma medida importante, mas não pode ser um ato isolado. Por isso, ele apresentou um projeto sugerindo flexibilizar o princípio da reciprocidade entre os dois países, com o propósito de acabar com a exigência de vistos para os americanos, o que aumentaria o número de turistas no país. Os trâmites consulares, sugere, deveria ser feitos no desembarque no país. “Temos apenas cinco consulados nos Estados Unidos, o que afasta, por conta da burocracia e do pouco acesso, a procura dos profissionais de turismo, bem como dos turistas que gostariam de viajar para o Brasil”, diz o parlamentar.

Segundo ele, enquanto a demanda de turistas europeus cresceu 20% e os sul-americanos 15%, o número de turistas norte-americanos está estagnado há alguns anos. Entre 2005 e 2006 caiu 9% de 793.559 para 721.633. Nos últimos 12 meses os turistas americanos gastaram US$ 5 bilhões no Brasil, ao passo que os brasileiros gastaram o dobro nos Estados Unidos.

Fonte: (acheiUSA)