Publicado em 9/03/2009 as 12:00am

Sorvetes salgados brasileiros ganham prêmio no exterior

Sorvetes de gorgonzola, de camarão, de chutney de manga, de moqueca, coentro com azeite e pimenta biquinho. Essas criações exóticas, parceria do chef paulistano Bruno Stippe

Sorvetes de gorgonzola, de camarão, de chutney de manga, de moqueca, coentro com azeite e pimenta biquinho. Essas criações exóticas, parceria do chef paulistano Bruno Stippe - da cantina C... Que Sabe! - com o mestre sorveteiro Frederico Samora - que tem uma sorveteria em Uberaba (MG), conquistou o júri formado pela imprensa especializada e arrebatou o prêmio especial do concurso Gelato in Tavola, ocorrido em janeiro em Rimini, na Itália.

“Sorvete como acompanhamento de pratos quentes é a nova tendência da alta gastronomia europeia”, acredita Stippe. Até o meio do ano, ele pretende lançar a ideia em sua cantina, no Bexiga. “Já estou preparando meus funcionários”, antecipa. E por que não aproveita o calor e coloca isso no cardápio já? “Os europeus consomem durante o ano todo, até mesmo no inverno. Quero chocar o mercado.”

Não será a primeira casa paulistana a ter sabores inusitados de sorvete servidos com refeições. No Chef Rouge, a chef Renata Braune esporadicamente arrisca tais experimentos. “Já servi sorvetes de ostras, manga com pimenta, queijo de cabra com tomilho e café com cerveja”, enumera Renata. “O brasileiro ainda tem um pouco de preconceito e prova com um pé atrás.” Segundo a chef, em um prato elaborado, o sorvete pode assumir o papel que seria do molho ou da guarnição. “É interessante o contraste de sabor, textura e temperatura.” As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Fonte: (Estado de São Paulo)