Publicado em 9/10/2009 as 12:00am

Nordeste lidera ranking das emigrações entre regiões do país

População do Sudeste é 2º grupo que mais deixou região de nascimento. Movimento foi mais forte no país nas décadas de 60 e 70, diz especialista


A população nordestina representa o maior contingente de emigrantes do país, com 10,5 milhões de pessoas nascidas no Nordeste que deixaram a região em 2008. O número corresponde a 53,4% do total de emigrantes. Os dados foram divulgados nesta sexta-feira (9), pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). O estudo Síntese de Indicadores Sociais (SIS) 2009 analisa dados da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (Pnad) 2008, divulgados em setembro.

O Sudeste, ainda segundo o estudo, é a região que mais atrai os emigrantes nordestinos. Quase 67% deles estavam na região em 2008. O total de migrantes entre as regiões do país, em 2008, foi de 19,7 milhões de pessoas.

Apesar da grande quantidade de emigrantes, esse movimento tem perdido força nos últimos anos. "Esses movimentos migratórios foram mais fortes durante as décadas de 60 e 70, quando São Paulo estava em pelo desenvolvimento e a construção civil conseguia absorver toda essa mão-de-obra nordestina. Com o passar dos anos, nota-se a diminuição nesses fluxos porque a construção civil já não tem tanta capacidade de absorver tanta gente, e cada vez mais se precisa de mão de obra qualificada", diz Fernando Albuquerque, componente da Dinâmica Demográfica, do IBGE.

Entre 1986 e 1991, ainda segundo Albuquerque, mais de 5 milhões de pessoas moravam em Unidades da Federação diferentes da sua de nascimento. Entre  2003 e 2008, esse número caiu para cerca de 3 milhões de pessoas. "Isso ocorre porque os programas sociais têm conseguido manter a população em seu estado de nascimento e porque, cada vez mais, essa população migrante tem dificuldade de se integrar no novo estado. Há cada vez mais casos de pessoas que deixaram seus estados e depois retornaram", afirma.

A população do Sudeste é o segundo grupo que mais deixou a região de nascimento (20,5% do total de emigrantes), dirigindo-se, em sua maioria, para a Região Centro-Oeste (35,8%). Segundo o IBGE, isso ocorre, provavelmente, devido ao crescimento de Brasília e dos movimentos de ocupação das fronteiras agrícolas.

De acordo com o levantamento, a distribuição da população de residência atual segundo o lugar de nascimento, em 2008, se consideradas as regiões do país, mantém as mesmas tendências verificadas no início da década de 1990. As regiões Nordeste e Sul, com 97,2% e 94,1%, respectivamente, são as que apresentam as maiores proporções de população natural, isto é, população residente cujo local de nascimento ocorre na própria região.

O Centro-Oeste tem o menor índice de população natural (69,5%) e, portanto, o maior de migrantes (30,5%).

O estudo aponta ainda que, das 704 mil pessoas que vieram de países estrangeiros, 70,3% tiveram como destino a Região Sudeste.

Com exceção da Região Norte, que tem o maior fluxo de emigrantes se dirigindo para o Centro-Oeste, os emigrantes de todas as regiões, inclusive país estrangeiro, tinham a Região Sudeste como local de maior atração.

Fonte: (G1)