Publicado em 14/10/2009 as 12:00am

Brasil abriu 252,6 mil vagas formais de trabalho em setembro

Dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), divulgados nesta quarta-feira (14) pelo Ministério do Trabalho e Emprego (MTE), revelam que foram criados 252.617 postos com carteira assinada em setembro. Foi o melhor mês do ano e o oitavo s

Dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), divulgados nesta quarta-feira (14) pelo Ministério do Trabalho e Emprego (MTE), revelam que foram criados 252.617 postos com carteira assinada em setembro. Foi o melhor mês do ano e o oitavo seguido de expansão.

O número de vagas criadas em setembro é o maior desde o mesmo mês do ano passado, quando o país incorporou 282.841 trabalhadores ao mercado formal. No país, segundo o MTE, há 32.925.953 trabalhadores celetistas, o maior estoque da história.

Segundo o Caged, no mês passado foram admitidos 1.491.580 trabalhadores. O número de demissões ficou em 1.238.963. No acumulado do ano, o saldo líquido de criação de vagas é de 932.651.

Com o resultado de setembro, a criação de vagas formais no país desde fevereiro alcançou 1,034 milhão - ultrapassando os cerca de 797 mil postos perdidos de novembro a janeiro, em função da crise mundial.

Segundo o ministro Carlos Lupi, o país poderá gerar até dezembro 1,1 milhão de empregos formais. "Os setores de serviço e comércio tendem a crescer, por conta do período de fim de ano, e a indústria da transformação apresenta crescimento contínuo, em todas as suas atividades, em todos os estados brasileiros, e há demanda para crescer mais", afirmou o ministro. "Estou falando há muito tempo que a crise acabou. Agora nem o mais pessimista entre os mais pessimistas poderá falar em crise".

A indústria de transformação foi o setor que mais criou vagas no mês passado: foram 123,3 mil postos formais. O saldo de vagas em serviços ficou em 62.768, enquanto em comércio foi de 50.301. A agropecuária foi o destaque negativo do Caged em setembro, ao eliminar 17.064 postos de trabalho.

No ano, o setor de serviços lidera, com 411 mil vagas criadas. De janeiro a setembro, a construção civil criou 184 mil postos, enquanto na agropecuária foram 130 mil vagas.

Entre os estados, São Paulo liderou a criação de vagas em setembro, com 59,5 mil, seguido por Alagoas, com 35 mil, e Pernambuco, com 25 mil.


Fonte: (G1)