Publicado em 18/07/2011 as 12:00am

Chuvas matam oito e afetam rodovias em Pernambuco e Paraíba

Depois de mais de dois meses de trégua, a chuva voltou a castigar os Estados de Pernambuco e Paraíba neste fim de semana. Oito pessoas morreram soterradas e duas estão desaparecidas na região metropolitana do Recife. Nos dois Estados, 27 municípios decret

Depois de mais de dois meses de trégua, a chuva voltou a castigar os Estados de Pernambuco e Paraíba neste fim de semana. Oito pessoas morreram soterradas e duas estão desaparecidas na região metropolitana do Recife. Nos dois Estados, 27 municípios decretaram emergência. As chuvas também causaram problemas em sistemas de abastecimento de água dos dois Estados.

Segundo a Coordenadoria de Defesa Civil de Pernambuco (Codecipe), mais de 500 famílias já estão desabrigadas ou desalojadas, sendo 250 delas em Goiana, na mata sul, que é a cidade mais atingida e que foi praticamente encoberta pelas águas do rio Goiana. Nesta segunda-feira (18), a prefeitura decretou emergência.

Em Pernambuco, entre sábado e domingo, choveu 213 milímetros (cada milímetro equivale a um litro por m²), em menos de 48 horas, o que significa mais do que todo o mês de julho do ano passado.

Entre sábado e domingo, mais de 200 ocorrências foram registradas pela Defesa Civil somente em Recife, principalmente por conta de deslizamento de barreiras. Dezenas de ruas e avenidas ficaram alagadas.

Na Paraíba, 26 municípios foram bastante atingidos, e o governador Ricardo Coutinho (PSB) decretou estado de emergência em todas as cidades. A intensa chuva em João Pessoa suspendeu a operação de voos, no domingo, no aeroporto Presidente Castro Pinto, em Bayeux.

As chuvas deixaram o município de Ingá ilhado. Segundo a prefeitura, uma das pontes de acesso à cidade está submersa e pode cair a qualquer momento. O município já contabiliza 350 famílias desabrigadas, e até a casa do prefeito do município foi inundada.

As chuvas ocorridas no primeiro semestre deste ano deixaram 82 municípios nordestinos em situação de emergência ou de calamidade pública. Até agora foram registradas 11 mortes - dez em Pernambuco e uma em Alagoas.

Mortes em Pernambuco

De acordo com a Codecipe, deslizamentos de barreiras ocasionaram uma morte em Recife, três em Olinda e quatro em Camaragibe. Uma adolescente está desaparecida depois de cair na galeria pluvial na tarde do domingo, em Olinda (PE). O deslizamento de uma encosta em Jaboatão dos Guararapes deixou um homem desaparecido.

O rio Goiana transbordou, e a ponte do quilômetro 6,8 da BR-101 está submersa. Segundo a Polícia Rodoviária Federal, a edificação corre risco de desabar. O Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit) deve avaliar as condições da estrutura da ponte nesta segunda-feira (18). Os motoristas devem evitar a rodovia, a alternativa é trafegar por dentro das cidades de Goiana e Itambé.

O transbordamento de rios e açudes interrompeu o tráfego na BR-101, entre Recife e João Pessoa, além da PB-230, que liga a capital paraibana a Campina Grande.

As chuvas também afetaram os sistemas de abastecimento de várias localidades. Em Pernambuco, os municípios de Goiana e Moreno, além da praia de Porto de Galinhas, em Ipojuca, estão sem água tratada nas torneiras. O sistema de abastecimento da capital pernambucana está operando com deficiência, e alguns bairros estão sem água.

Segundo a Compesa (Companhia Pernambucana de Saneamento), duas estações elevatórias de água, na Grande Recife, estão inundadas, sem condições de bombeamento para as estações de tratamento. O abastecimento de água deverá ser restabelecido após a avaliação de técnicos da companhia, que aguardam o nível dos mananciais baixar para executar os reparos necessários nos equipamentos.

Segundo a Cagepa (Companhia de Água e Esgotos da Paraíba), todo o município de Bayeux, na região metropolitana de João Pessoa, está sem água tratada. Os sistemas de abastecimento de Marés e Gramame afetaram o abastecimento de João Pessoa e Santa Rita. Segundo a companhia, 28 bairros da capital paraibana e mais três localidades de Santa Rita estão sem água.

A Compesa e a Cagepa informam que não há previsão de restabelecer os sistemas e aguardam o nível das inundações baixarem para avaliar os danos e, assim, efetuar os reparos necessários para restabelecer o fornecimento de água. 

Fonte: UOL.COM.BR