Publicado em 2/08/2011 as 12:00am

Governo exonera mais três diretores e resta apenas um na cúpula do Dnit

A edição desta terça-feira (2º) do Diário Oficial da União traz publicada a exoneração de mais três diretores do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit). Foram demitidos José Henrique Coelho Sadok de Sá, do cargo de diretor executivo

A edição desta terça-feira (2º) do Diário Oficial da União traz publicada a exoneração de mais três diretores do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit). Foram demitidos José Henrique Coelho Sadok de Sá, do cargo de diretor executivo, Geraldo Lourenço de Souza Neto, do cargo de diretor de Infraestrutura Ferroviária, e Herbert Drummond, do cargo de diretor de Infraestrutura Aquaviária.

Sadok Sá e Souza Neto já tinham sido afastados no Ministério e tiveram a exoneração confirmada hoje. Segundo a assessoria de imprensa do Dnit, Drummond estava de férias até agora e já havia pedido para deixar o cargo antes da crise estourar.

Com a faxina, sobrou no órgão apenas um diretor: Jony Marcos, de Planejamento e Pesquisa.

Envolvido em uma crise de má administração e suspeitas de corrupção, o Ministério dos Transportes afastou pelo menos duas dezenas de funcionários. Entre os afastados estão o agora ex-ministro Alfredo Nascimento e o diretor-geral do Dnit, Luiz Antonio Pagot.

Membros do PR e do PT perderam os cargos depois de denúncias da revista "Veja", indicando que o Ministério dos Transportes servia como um meio de arrecadar recursos eleitorais para partidos políticos.

Pagot entrou de férias assim que foram divulgadas as denúncias de irregularidades no órgão e o governo cuidou apenas de substituí-lo, provisoriamente, pelo diretor-executivo José Henrique Sadok, que acumulou as duas funções. No entanto, ele também foi afastado por ter o nome envolvido em novas denúncias.

* com reportagem de Maurício Savarese, em Brasília.

Fonte: UOL.COM.BR