Publicado em 2/09/2011 as 12:00am

Metrô de São Paulo nega explosão após falha elétrica na linha Vermelha

O Metrô de São Paulo negou que a falha elétrica que afetou a circulação de trens na linha 3-Vermelha (Corinthians/Itaquera-Palmeiras/Barra Funda) na tarde desta sexta-feira (2) tenha causado uma explosão no interior de uma das composições, como foi relata

O Metrô de São Paulo negou que a falha elétrica que afetou a circulação de trens na linha 3-Vermelha (Corinthians/Itaquera-Palmeiras/Barra Funda) na tarde desta sexta-feira (2) tenha causado uma explosão no interior de uma das composições, como foi relatado por usuários do serviço de microblog Twitter.

De acordo com o Metrô, às 12h36, uma composição que seguia para a estação da Barra Funda apresentou falha elétrica, precisando ser rebocada por outra composição. Devido a isso, os demais trens circularam com velocidade reduzida, aumentando o tempo de parada nas plataformas. Os passageiros que estavam no trem com problema tiveram que ser retirados.

Um passageiro comentou a falha no Twitter. “Metrô com problemas na Sé... A galera só chegando e se amontoando”. Em seguida, relatou uma explosão. “Rolou uma explosão agora... Seria terrorismo no Brasil?”

A circulação começou a ser normalizada às 13h22, ainda segundo o Metrô. De acordo com a companhia, não houve registro de transtornos. Ninguém ficou ferido.

A integração com a CPTM (Companhia Paulista de Trens Metropolitanos) na estação Brás e na estação Barra Funda foi fechada para controlar o fluxo de passageiros. A integração no Brás ficou fechada das 13h10 até as 13h55 e a da Barra Funda ficou interrompida entre as 13h32 e as 13h55.

A assessoria de imprensa da companhia disse que não tem informação alguma sobre qualquer tipo de explosão ou estouro e que as causas da falha só serão esclarecidas após a averiguação da equipe de manutenção.

Frota reformada

Segundo Alexandre Leme, diretor do Sindicato dos Metroviários de São Paulo, a suspeita é que um cabo de energia localizado na parte de baixo do trem tenha se rompido, causando um curto-circuito. "O trem é alimentado com uma corrente elétrica de 750 volts", disse.

De acordo com o sindicato, o trem que apresentou a falha elétrica faz parte de uma frota recém-reformada.

Fonte: UOL.COM.BR