Publicado em 2/09/2011 as 12:00am

Polícia faz operação para prender 18 acusados de integrar milícia no Rio

A Polícia Civil e o Ministério Público do Rio de Janeiro fazem hoje (1º) uma operação para prender 18 integrantes da milícia conhecida como Liga da Justiça, que atua na zona oeste da cidade. A 42ª Vara Criminal da capital já decretou a prisão preventiva d

A Polícia Civil e o Ministério Público do Rio de Janeiro fazem hoje (1º) uma operação para prender 18 integrantes da milícia conhecida como Liga da Justiça, que atua na zona oeste da cidade. A 42ª Vara Criminal da capital já decretou a prisão preventiva dos acusados, por formação de quadrilha para a prática de crimes hediondos. Dos 18, cinco já estavam presos por outros crimes.

Até o momento, duas pessoas foram presas. Hoje, os agentes já apreenderam uma pistola e R$ 13 mil. Os presos e o material estão sendo levados para a Delegacia de Roubos e Furtos de Autos.

Entre os acusados está Toni Ângelo Souza de Aguiar, que, segundo o Ministério Público, seria o líder do grupo remanescente da quadrilha. Apesar de vários integrantes já terem sido presos, a milícia continua agindo em bairros como Campo Grande, Cosmos, Inhoaíba, Paciência e Santíssimo.

A Liga da Justiça é o grupo paramilitar mais conhecido do Rio, por ter sido supostamente chefiada pelos irmãos e ex-parlamentares Natalino Guimarães (ex-deputado estadual) e Jerominho (ex-vereador do Rio). O grupo é acusado de homicídios qualificados, extorsões, agressões, sequestros e porte ilegal de arma de fogo.

A operação, que tem o apoio da Corregedoria Geral Unificada das polícias, conta com a participação de 150 policiais e promotores do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco), do Ministério Público. Foram expedidos ainda 30 mandados de busca e apreensão.

* com Agências Brasil e Estado.

Fonte: UOL.COM.BR