Publicado em 20/09/2011 as 12:00am

Idosos vão às ruas de Curitiba como agentes voluntários de trânsito

Um grupo de 50 idosos de Curitiba está trabalhando de forma voluntária como agentes educadores de trânsito em blitzes pela cidade. A ideia é que eles contribuam para melhorar a educação dos motoristas.

Um grupo de 50 idosos de Curitiba está trabalhando de forma voluntária como agentes educadores de trânsito em blitzes pela cidade. A ideia é que eles contribuam para melhorar a educação dos motoristas.

Com camiseta e boné personalizados, os idosos receberam treinamento sobre sinalização de trânsito e dicas de respeito aos pedestres e trabalham lado a lado com os fiscais de trânsito.

A tarefa deles, que têm idade entre 60 anos e 75 anos, é repassar essas informações aos condutores em ações educativas que fazem parte da semana do trânsito, aberta no último domingo (18) e que vai até o próximo domingo (25).

Ao parar os carros, os agentes cedem espaço aos idosos para que conversem com os motoristas, numa tentativa de conscientização para humanizar o tráfego nas ruas e avenidas da cidade. Não é a primeira vez que os idosos são usados em blitze educativa.

A coordenadora da Unidade de Educação e Mobilização da URBS (empresa da prefeitura responsável pelo gerenciamento do trânsito e transporte público da cidade), Maura Moro, disse ao UOL Notícias que o idoso tem experiência como multiplicador de informações junto à comunidade.

“Um motorista é um pedestre em algum momento de seu deslocamento. Nada melhor do que contar com pessoas experientes, que transmitam muita calma, cuidado, paciência e atenção para quem convive com a neurose urbana diária. Todos ganham. O motorista, ao ser alertado em uma abordagem educativa, e o idoso, que sabe que pode continuar a prestar serviços importantes para sua comunidade”, disse Maura.

A aposentada Maria Nazaré Batistuzo, uma das voluntárias que participam da ação educativa em Curitiba, afirmou que tem transmitido aos motoristas que a educação no trânsito precisa começar na escola. “Muitos são pais de crianças em idade escolar, e falar isso para eles ajuda a multiplicar a proposta de trânsito melhor”, disse Maria Nazaré. 

Fonte: UOL.COM.BR