Publicado em 29/01/2012 as 12:00am

Corpos podem ter sido carbonizados, diz chefe dos Bombeiros do Rio

os corpos ainda não encontrados das vítimas do desabamento no centro do Rio podem ter sido carbonizados

O secretário estadual de Defesa Civil e comandante-geral do Corpo de Bombeiros, coronel Sérgio Simões, afirmou neste domingo que os corpos ainda não encontrados das vítimas do desabamento no centro do Rio podem ter sido carbonizados por pequenos focos de incêndio no decorrer do resgate --o que compromete a localização e identificação.

O desabamento de três prédios, ocorrido na noite de quarta (25), provocou 17 mortes já confirmadas e deixa cinco pessoas desaparecidas. Familiares de vítimas acompanham no local o trabalho de resgate do Corpo de Bombeiros.

Simões afirmou que não há previsão para o término das buscas por vítimas.

Segundo o comandante, bombeiros realizam uma varredura em meio aos destroços levados para o depósito da Comlurb (Companhia Municipal de Limpeza Urbana), na avenida Washington Luiz, que liga a capital à região serrana.

Nos últimos dias, bombeiros localizaram partes de corpos de vítimas.

A Prefeitura do Rio iniciou, na tarde deste domingo, os serviços de manutenção e limpeza das avenidas Treze de Maio e Almirante Barroso, na região onde houve o desabamento.

De acordo com a prefeitura, a área dos desabamentos já está isolada por tapumes. A Secretaria de Conservação e Serviços Públicos afirma que a operação de recuperação do entorno inclui a pavimentação das calçadas em pedras portuguesas, reposição de fradinhos, tampões de bueiros e desobstrução do sistema de drenagem.

DESABAMENTO

Os três prédios localizados ao lado do Theatro Municipal desabaram por volta das 20h30 de quarta-feira (25). Os edifícios tinham 18 (Liberdade), 10 (Colombo) e 4 andares. O teatro não foi atingido, mas seu anexo, onde funciona a bilheteria, sofreu danos por causa dos escombros.

O prefeito Eduardo Paes afirmou na quinta-feira (26) que os indícios apontam que é improvável que o desabamento dos três prédios tenha sido causado por uma explosão. A principal hipótese aponta para um problema na estrutura de um dos prédios.


Fonte: (DA UOL)