Publicado em 21/02/2012 as 12:00am

Confusão seguida de incêndio interrompe apuração das escolas de samba de São Paulo

Um tumulto durante a reta final da leitura das notas das escolas de samba do Carnaval de São Paulo

Um tumulto durante a reta final da leitura das notas das escolas de samba do Carnaval de São Paulo nesta terça-feira (21) interrompeu a apuração do resultado da campeã de 2012. Um homem invadiu a área restrita dos jurados e rasgou os envelopes que continham as notas. Depois de terem sido dispersados pela polícia, manifestantes tomaram as pistas da Marginal Tietê.
No momento da confusão, a Mocidade Alegre estava a apenas uma nota 10 do título, enquanto as escolas Camisa Verde e Pérola Negra seriam rebaixadas. Nenhuma agremiação foi nomeada campeã.
Em meio ao tumulto, houve um incêndio nos carros alegóricos da Pérola Negra que estavam no pátio do Sambódromo. De acordo com informações do Corpo de Bombeiros, o fogo teve início por volta das 18h e foi controlado em cerca de 10 minutos. Quatro viaturas foram enviadas ao local, mas não há informações sobre feridos.
Irritado, Edilson Casal, presidente da escola Pérola Negra, afirmou ao UOL que faria o mesmo com os carros de outras escolas. "Queimaram o meu, agora vou queimar o dos outros."
Minutos após a confusão, o presidente da Liga das Escolas de Samba de São Paulo (Liga-SP) Paulo Sérgio Ferreira chegou a dizer que a apuração continuaria de onde parou. No início da noite, os presidentes das escolas e representantes da Liga fizeram uma reunião para definir as medidas para contornar a situação, que ainda não foram anunciadas.
Polêmica sobre a escolha dos jurados

A presidente da Mocidade Alegre, Solange Bichara Rezende, disse ao UOL que o tumulto não é com a escola de samba. "Os outros presidentes e diretores das outras escolas me ligaram para parabenizar", disse ela. "A questão é como foi feita a escolha dos jurados este ano."
Quando a confusão começou, a escola Mocidade Alegre estava na frente, seguida pela Rosas de Ouro e Vai-Vai. Faltavam apenas duas notas do último quesito, Comissão de Frente, para sair o resultado da vencedora do Carnaval. Em 2012, a seleção para jurados de Carnaval sofreu mudanças. Foi aberto concurso público para o cargo, o que causou a insatisfação de alguns membros de escola de samba. Antes do início da apuração, houve uma reunião entre os diretores das escolas para discutir a substituição de última hora de um jurado, que teria se sentido mal às vésperas da primeira noite de desfiles, sexta-feira. A mundaça desagradou alguns diretores, mas o consenso ao final da reunião foi de que as notas do jurado substituo não seriam descartados. A apuração começou com cerca de vinte minutos de atraso.
De acordo com o delegado da Deatur, Osvaldo Nico Gonçalves, foi confirmada a prisão de Thiago Ciro Tadeu Faria, que teria iniciado toda a confusão e, segundo a polícia,  é diretor da Império de Casa Verde. Paulo Ferreira, vice-presidente da escola, nega. “É uma pessoa com a camiseta da escola, não é da diretoria. Culpar a gente de tudo também não dá. Viemos em um carro com oito pessoas somente”. Gonçalves disse  que Cauê Santos Pereira, da Gaviões da Fiel, também foi preso. E mais cinco pessoas foram presos, suspeitos de terem incendiado o carro alegórico da Pérola Negra. Ferreira desabafou dizendo que “este foi o Carnaval dos erros. Tem gente que errou e tirou nota 10. E isso não dá pra admitir”. Ele se refere a duas alas da Vai-Vai que vieram sem chapéus e tiraram nota 10 no quesito 'fantasia'. Ele ainda criticou a apuração com a presença de torcida: “Agora tem três escolas de time. Eles vêm aqui batem e xingam. Não dá. Isso aqui é Carnaval”. Após a confusão, os torcedores da Gaviões da Fiel foram retirados do local e caminharam para a pista local da marginal Tietê até a quadra da escola, que fica perto do Sambódromo. A pista já estava interditada pela CET na altura do Anhembi para a apuração. Não há trânsito no local, que está sendo monitorado pela tropa de choque da PM. No momento do tumulto, a apuração estava em seu último quesito, Comissão de Frente. Se recebesse mais dez pontos, a Mocidade Alegre seria consagrada campeã, sem chances de ser ultrapassada no resultado final. Rosas de Ouro estava em segundo lugar, seguida pela Vai-Vai. Camisa Verde e Branco e Pérola Negra seriam rebaixadas ao Grupo de Acesso.

Fonte: (da uol)