Publicado em 2/10/2012 as 12:00am

Polícia acusa vizinho de ser mentor de sequestro em MG

A Polícia Civil mineira apresentou nesta segunda-feira (1º), em Belo Horizonte, dois acusados do sequestro de uma adolescente de 15 anos, levada em um carro pelos suspeitos da porta de casa, na cidade de Cássia (405 km de Belo Horizonte), no dia 18 de set

A Polícia Civil mineira apresentou nesta segunda-feira (1º), em Belo Horizonte, dois acusados do sequestro de uma adolescente de 15 anos, levada em um carro pelos suspeitos da porta de casa, na cidade de Cássia (405 km de Belo Horizonte), no dia 18 de setembro. Os sequestradores deixaram um bilhete na calçada exigindo a quantia de R$ 1 milhão para soltar a jovem.

A dupla, que foi presa dias depois do sequestro na cidade paulista de Franca, foi apresentada na sede do Departamento de Operações Especiais de Minas Gerais (Deoesp).

Conforme a investigação, Lucas Andrade Rodrigues é vizinho da família da garota e estava morando na cidade do interior de São Paulo. Ele foi preso no dia 24 do mês passado.

A polícia informou que ele passava os fins de semana na localidade mineira, na casa dos pais, que são de classe média e moram a poucos quarteirões da casa da jovem, cujos pais são fazendeiros de café na região. Ele é apontado pelos investigadores como mentor do sequestro e já teria estudado com uma das irmãs da vítima e conhecia a rotina da família da adolescente. Para a polícia, o jovem teria negado participação ativa no caso, sendo responsável apenas pelo aluguel do carro utilizado no dia do crime.

Um dos delegados que participou da coletiva afirmou que, por meio de denúncias anônimas recebidas pela polícia, o jovem estaria ligado ao tráfico de drogas na cidade mineira. No entanto, ele não tem passagem pela polícia. "A notícia que temos é que ele possuía envolvimento com o tráfico de drogas, mas são denúncias anônimas e não têm nada de concreto", afirmou Henrique Faleiro, delegado da cidade de Cássia.

Já o outro preso apresentando à imprensa é Nieder Leno Jordão, 23, apontado como o responsável pela vigilância da jovem. Segundo a polícia, ele foi preso no dia 27 de setembro e teria confessado o crime. Um terceiro acusado de ter participação no caso ainda está foragido. A polícia descartou a hipótese de uma quarta pessoa ter ligação com o episódio, conforme vinha sendo divulgado. Os dois serão indiciados por extorsão mediante sequestro.

Durante a apresentação, os acusados se negaram a falar sobre o caso. O UOL não conseguiu identificar advogados dos presos.

Relembre o caso

A adolescente passou pouco mais de 24 horas em poder dos sequestradores. Ela foi encontrada no dia seguinte ao sequestro na cidade de Patrocínio Paulista (412 km de São Paulo) e distante 47 km da cidade de Cássia.

A garota sido amarrada a uma árvore, mas conseguiu se soltar e procurou ajuda em uma rodovia da localidade. Ela foi encaminhada a uma delegacia da Polícia Civil paulista e, em seguida, foi levada para a casa dos pais.

O valor pedido pelos autores do sequestro não foi pago, informou a polícia. Em entrevista dada na cidade, a garota havia informado que não sofreu maus-tratos e foi alimentada no período em que passou com os sequestradores. Ela não soube dar detalhes da fisionomia dos suspeitos por eles estarem encapuzados.

Fonte: uol.com.br