Publicado em 7/05/2013 as 12:00am

Moradores de Olinda denunciam atraso na reforma da orla da cidade

Revitalização da costa começou em 2010 e se arrasta até hoje. Obra inacabada atrapalha circulação de banhistas em três praias.


Moradores de Olinda, na Região Metropolitana do Recife, denunciam o atraso na reforma da orla da cidade. A revitalização, que começou em 2010, foi adiada várias vezes e se arrasta até hoje. Em alguns trechos da Avenida Marcos Freire, o serviço inacabado atrapalha a circulação de banhistas e de quem pratica atividades físicas. Falta asfalto, definição do espaço para ciclistas e os banheiros públicos estão isolados com tapumes.

O projeto prevê o investimento de R$ 23 milhões para recuperar as praias de Bairro Novo, Casa Caiada e fazer uma via litorânea até o bairro de Rio Doce. Também estão previstas intervenções para conter o avanço do mar e melhorar a infraestrutura, além de equipamentos para atender aos moradores e turistas. A obra começou em 2010 e, inicialmente, deveria ser entregue em setembro de 2011. Depois o prazo foi esticado para novembro de 2012, mas também não foi cumprido.

“Tem que ter gente para trabalhar. Você vê dois, três homens para fazer um serviço desses. Por isso, não acaba nunca”, diz o aposentado José Joaquim Fraga. “Eu desisti de andar na calçada e vim para a areia porque tinha um vendedor com uma carrocinha de sorvete. Dei preferência a ele. Até cavalo aqui eu já encontrei”, reclama o também aposentado Antônio Oliveira.

O porteiro Eraldo Alves conta que é arriscado andar na via porque a obra está inacabada. “A gente se sente inseguro. É arriscado o carro atropelar a gente na ciclovia.” O ajudante de pedreiro Gilberto Oliveira, que costuma andar de bicicleta na área, também sofre. “Tomaram um pedaço da orla para fazer um estacionamento, o que aumentou o risco de acidente.”

Em nota, a Prefeitura de Olinda informa que processos na Justiça para desapropriação de imóveis provocaram atrasos na obra. Acrescenta que o andamento da reforma também depende dos trabalhos da Compesa e da Celpe para recuperação do saneamento e iluminação da área. A previsão é terminar a obra em dezembro deste ano..

Fonte: www.globo.com

Top News