Publicado em 14/06/2013 as 12:00am

Balanço da prefeitura contabiliza 144 depredações após protesto no Rio

Balanço da prefeitura contabiliza 144 depredações após protesto no Rio


A Prefeitura do Rio de Janeiro informou nesta sexta-feira (14), que um monumento e 143 mobiliários urbanos foram depredados durante a manifestação contra o aumento das tarifas de ônibus no centro da cidade, na noite de quinta (13). Ao todo, foram 28 abrigos de ponto de ônibus, 66 vidraças dos pontos, quatro totens de publicidade, dois relógios eletrônicos, um banheiro público e 42 lixeiras.

A manifestação foi o quarto protesto contra o reajuste do valor das passagens no Rio de Janeiro de R$ 2,75 para R$ 2,95 (desde o dia 1º de junho). Em nota, a prefeitura disse que as equipes operacionais já iniciaram a restauração e reposição das peças.

De acordo com a Secretaria de Conservação e Serviços Públicos, o monumento em homenagem a Zumbi dos Palmares, instalado na avenida Presidente Vargas, em frente ao Terreirão do Samba, foi alvo de pichações na base de concreto e na própria escultura.

O canteiro onde foi instalada a escultura "O Portal", do artista mineiro Amilcar de Castro, também foi pichado. A peça está instalada na esquina das avenidas Presidente Vargas e Rio Branco. Ainda foram constatadas pichações nos pilares do portão de pedras do Campo de Santana. Equipes da Gerência de Monumentos e Chafarizes já iniciaram os serviços de limpeza com removedor e a previsão de conclusão é no fim do dia.

A Comlurb mobilizou um efetivo adicional de 20 garis, veículos com máquinas de lava a jato e tinta antipichação na noite de ontem. As equipes fizeram retirada de pichações no Palácio Tiradentes, sede da Alerj (Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro), na rua Primeiro de Março, além de prédios públicos e abrigos de pontos de ônibus nas avenidas Presidente Vargas e Rio Branco. Também precisaram ser reinstaladas 42 papeleiras ao longo da avenida Presidente Vargas que estavam danificadas.

Segundo a prefeitura, no início da semana, em outra manifestação, foram destruídas 50 placas com nomes de logradouros. As empresas concessionárias já iniciaram a reposição das peças danificadas na manhã desta sexta, e a previsão para a conclusão dos serviços é de 45 dias.

Fonte: www.uol.com

Top News