Publicado em 20/06/2013 as 12:00am

Manifestantes aproveitam ato para vender bandeiras e máscaras em SP

Manifestantes aproveitam ato para vender bandeiras e máscaras em SP

Comerciantes aproveitaram a manifestação que ocorreu na avenida Paulista, na região central de São Paulo, na tarde desta quinta-feira, para lucrar. Máscaras são encontradas por R$ 10 e bandeiras por R$ 20.

Malufista e apoiador do governador Geraldo Alckmn (PSDB), os sócios Pedro Villano, 33, e Thiago Melo, 32, fazem parte do grupo de "revoltados" contra a corrupção. "Estamos aqui para protestar. Estou vendendo a máscara para ajudar. A máscara custa R$ 7 e vendo por R$ 10", diz Villano.

Manifestantes fecham pistas da Paulista; 3.000 PMs reforçam segurança
Manifestantes entoam palavras de ordem contra partidos em ato em SP

"É a turma do chega, mas de direita. Tenho boa condição de vida, mas sei como é a vida dos que sofrem. Na pobreza", disse Melo.

Os manifestantes fecharam por volta das 17h aos dois sentidos da avenida Paulista. O protesto foi mantido mesmo após a redução das passagens de ônibus, metrô e trem na capital paulista, anunciado ontem.

O Movimento Passe Livre, que organiza o protesto, comemorou a redução de R$ 3,20 para R$ 3, mas afirmou que agora vai lutar para conseguir tarifa zero no transporte público. Ao anunciarem a redução, Alckmin e o prefeito Fernando Haddad (PT) disseram que investimentos serão reduzidos.

Por volta das 17h40, a Polícia Militar ainda não tinha um balanço de quantas pessoas fechavam a Paulista. O grupo estava concentrado na altura da praça do Ciclista, segundo a CET (Companhia de Engenharia de Tráfego).

O movimento era pacífico no local, segundo a PM, que afirmou haver um reforço no policiamento da região central de 3.000 homens.

Fonte: www.uol.com