Publicado em 12/09/2013 as 12:00am

Após assembleia em Brasília, funcionários dos Correios mantêm greve

Após assembleia em Brasília, funcionários dos Correios mantêm greve


A assessoria de imprensa da Federação Interestadual dos Sindicatos dos Trabalhadores e Trabalhadoras dos Correios (Findect), que representa os cerca de 50 mil trabalhadores que aderiram ao movimento, afirma que a reunião com dirigentes da Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos (ECT), em Brasília, na tarde desta quinta, foi produtiva, mas não houve contraproposta concreta. 

Os trabalhadores cruzaram os braços nas cidades de São Paulo, Tocatins, Rio de Janeiro, Bauru, Rondônia, Ceará, Pernambuco, Paraíba, São José do Rio Preto (SP) e Vale do Paraíba.

A  Fentect (Federação dos Trabalhadores dos Correios), ligada a CUT (Central Única dos Trabalhadores), que reúne os outros cerca de 70 mil funcionários da estatal, continua realizando assembleias para avaliar a proposta patronal e tem previsão para votar eventuais paralisações até o próximo dia 17.

De acordo com o presidente do Sintect (Sindicato dos Correios de São Paulo), Elias Cesário, a greve é por tempo indeterminado. "Enquanto não atender nossas reivindicações, vamos manter a greve. Na sexta-feira (13), às 9h, há uma nova reunião da Federação dos Trabalhadores dos Correios (Fentect), e do Sintect com a direção dos Correios em Brasília. 

Reivindicações

A categoria quer a reposição da inflação, o reajuste do piso salarial em 10%, aumento real de 6%, vale-alimentação de R$ 35 e vale-cesta de R$ 342, além de auxílio-creche de R$ 500 e auxílio para dependentes de cuidados especiais de no mínimo R$ 850.

Ressarcimento

O Procon de São Paulo divulgou nota nesta quinta-feira (12) afirmando que o consumidor lesado pela greve tem direito a ressarcimento ou a abatimento do valor pago na postagem, caso haja atraso no recebimento de correspondências  

Fonte: www.uol.com