Publicado em 14/09/2013 as 12:00am

Adolescente some após ser esquecido em excursão a parque de diversões

Adolescente some após ser esquecido em excursão a parque de diversões


Um jovem de 15 anos desapareceu, na noite de sexta-feira (14), após ser esquecido por uma excursão ao parque de diversões Hopi Hari, em Vinhedo (79 km de São Paulo). A excursão, organizada por uma escola, partiu do Guarujá e tinha uma caravana com sete ônibus. O caso foi registrado pela Polícia Civil de Vinhedo e a família irá solicitar que as imagens das câmeras de monitoramento sejam verificadas para tentar localizar o menor.

Segundo relato comunicado à Polícia Civil, Carlos Eduardo dos Santos foi para o parque de diversões em uma excursão organizada pela escola Escola Estadual Doutor Roberto Amaury Galliera. Ele não estudava na escola, mas iria participar da excursão, segundo depoimentos de familiares.

Depois de passar o dia no parque, ele não apareceu na hora do embarque. Os companheiros de viagem acharam que ele estaria em outro ônibus e deixaram o local. Cerca de uma hora e meia depois, o jovem ligou para avisar que tinha ficado para trás.

A tia do jovem, Lindaci Santos, informou à polícia que, segundo relato de colegas, o jovem chegou a falar com um dos inspetores da escola quando o ônibus passava pela região de Cubatão (56 km de São Paulo), na Baixada Santista, mas houve interferência na ligação, que acabou caindo.

Nenhum contato foi feito depois desse momento. A família tentou ligar, durante toda a manhã de ontem, no celular do jovem, mas as ligações ciram na caixa postal.

A chegada no Guarujá (86 km de São Paulo), na Baixada Santista, aconteceu por volta da meia-noite. Depois de todos os ônibus chegarem da excursão, na hora da contagem final dos alunos, funcionários da escola e amigos perceberam que o jovem não estava com o grupo e voltaram ao parque para tentar encontrá-lo. O jovem já havia sumido quando eles chegaram ao local, por volta das 3h.

A família afirma ter entrado em contato com o Hopi Hari, mas ainda não obteve resposta do parque. A reportagem procurou o centro de entretenimento. Um recado foi deixado, mas, até o momento o parque não se posicionou sobre o assunto.

A Polícia Civil de Vinhedo informou que nenhuma informação sobre o caso seria fornecida até segunda-feira (16), quando haverá uma coletiva de imprensa para falar sobre o assunto. 

A escola Amaury Galliera foi procurada, mas ninguém atendeu no telefône fixo. A assessoria de imprensa da Secretaria Estadual de Educação também foi contatada, mas ninguém atendeu aos telefonemas. 

Fonte: www.uol.com