Publicado em 28/01/2014 as 12:00am

Dilma participa de Cúpula entre América Latina e Caribe

Dilma participa da abertura de Cúpula entre América Latina e Caribe

A presidente Dilma Rousseff participou nesta terça-feira (28) da sessão inaugural da II Cúpula da Comunidade dos Estados Latinoamericanos e Caribenhos (Celac), em Havana, Cuba. Dilma foi recebida no evento pelo presidente cubano, Raúl Castro. Depois da abertura da Cúpula, por volta das 9h (meio-dia no horário de Brasília), o presidente Raúl Castro iniciou seu discurso. Em seguida, os chefes de Estados latino-americanos se reuniram com chanceleres a portas fechadas. Entre 15h e 16h no horário de Havana (três horas a menos que Brasília) haverá uma sessão de trabalho. Acompanham a presidente os ministros Luiz Alberto Figueiredo (Relações Exteriores), Fernando Pimentel (Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior), Alexandre Padilha (Saúde) e Helena Chagas (Comunicação Social). A Celac foi criada em 2010, na Riviera Maya, no México. O grupo foi fundado com o objetivo de integrar em uma instância única os 33 países da América do Sul e do Caribe. A cúpula reuniu o Grupo do Rio, que tratava de assuntos de concertação política, e a Cúpula da América Latina e Caribe (Calc), que tratava mais sobre desenvolvimento e integração. Pobreza e desigualdades O encontro em Cuba será o segundo da Celac. O tema principal serão as ações contra a pobreza, a fome e as desigualdades na América Latina e Caribe. De acordo com a Comissão Econômica para América Latina e Caribe (Cepal), o percentual de pessoas vivendo na pobreza na região diminuiu de 42% para 22% de 2002 a 2012. Já o de pessoas vivendo na extrema pobreza caiu oito pontos percentuais no mesmo período. As reuniões entre chefes de Estado acontecerão além desta terça , também na quarta-feira (29), informou o Itamaraty. Durante os encontros, será elaborada uma declaração política oficial, e comunicados oficiais sobre temas específicos. Segundo o Itamaraty, alguns dos temas que podem ser abordados são o combate ao terrorismo, uma agenda de desenvolvimento após 2015, relacionada aos assuntos tratados na Rio +20, e o embargo dos Estados Unidos à Cuba. Lá também serão lançadas as bases para um foro de cooperação entre a Celac e a China. Dilma deve retornar ao Brasil no dia 29.

Fonte: (G1)