Publicado em 22/04/2015 as 12:00am

Cinzas de professora que morreu nos EUA chegam a Barra Mansa, RJ

Najla Salém faleceu ao tentar entrar ilegalmente nos Estados Unidos. Cinzas serão levadas para Passa Vinte (MG), diz família

As cinzas de Najla da Cunha Salém, de 42 anos, que morreu ao tentar entrar ilegalmente nos Estados Unidos, chegaram durante o fim de semana em Barra Mansa, no Sul do Rio de Janeiro. Segundo familires, o corpo da professora foi cremado nos EUA.

Ainda de acordo com a família, uma cerimônia em memória de Najla será realizada às 10h de terça-feira (21), na Igreja de Santo Antônio, no bairro Saudade. As cinzas serão levadas durante a tarde para o túmulo da família, no cemitério municipal de Passa Vinte (MG).

“Depois que o corpo foi localizado no deserto do Texas, pelas roupas e documentos a gente já suspeitava que era a Najla. A comprovação veio depois de análise da arcada dentária dela e o resultado chegou pra gente na semana passada”, informou o tio da brasileira, Luiz Antônio da Cunha. Ele acredita que “a causa da morte seria por exaustão e frio, devido a ela ter problemas de pressão”.

Najla estava desaparecida desde o início de fevereiro, quando tentou cruzar, de forma ilegal, a fronteira entre o México e os Estados Unidos. Segundo parentes, ela pagou US$ 20 mil para fazer a travessia pelo deserto do Texas. Moradora de Volta Redonda, mas natural de Barra Mansa, a professora tinha como objetivo chegar a Nova York, onde estavam o namorado e o filho adolescente, que tem dupla nacionalidade.

Fonte: Da Redação