Publicado em 10/09/2015 as 12:00am

PF faz busca na casa do ex-jogador Edílson em Salvador

A ação aconteceu na residência dele em Salvador, mas não foi divulgado o resultado da apreensão.

A Polícia Federal (PF) cumpre mandado de busca e apreensão na casa do ex-jogador baiano da Seleção Brasileira e do Vitória, Edílson da Silva Ferreira (o Capetinha), segundo informações obtidas pelo Portal A TARDE. A ação aconteceu na residência dele em Salvador, mas não foi divulgado o resultado da apreensão. 

Além de Edílson, o primo do ex-jogador foi preso durante a operação e é um dos principais alvos das investigações.

O ex-jogador e o primo são investigados pela "Operação Desventura", que apura fraudes no pagamento de prêmios para falsos bilhetes da loteria. A ação foi iniciada na manhã desta quinta-feira, 10, nos estados da Bahia, Goiás, São Paulo, Sergipe, Paraná e no Distrito Federal.

Em uma postagem no Twitter, o órgão informou que os gerentes eram recrutados por grandes correntistas, entre eles um ex-jogador da Seleção. O nome dele não foi divulgado no tuíte, o que deve ocorrer até o final da manhã.

Cerca de 250 policiais federais cumprem 54 mandados judiciais, divididos em cinco prisões preventivas, oito temporárias, 22 conduções coercitivas e 19 buscas.

O esquema consistia em validação de bilhetes premiados que não foram sacados. Os criminosos mapeavam quais as premiações não foram retiradas pelos ganhadores e informavam aos gerentes, que viabilizavam o pagamento dos prêmios por meio de suas senhas. Em um ano de investigação, a PF identificou prejuízo de pelo menos R$ 60 milhões.

Os valores dos prêmios não sacados são destinados ao Fundo de Financiamento Estudantil (Fies). Só em 2014, as loterias deixaram de resgatar R$ 270,5 milhões em prêmios da Mega-Sena, Loteca, Lotofácil, Lotogol, Quina, Lotomania, Dupla-sena e Timemania.

Durante as investigações, um integrante da organização criminosa chegou a ser preso quando tentava aliciar um gerente para o saque de um bilhete de loteria no valor de R$ 3 milhões. Ele foi liberado pela polícia, porém, alguns dias depois, foi executado. A polícia está investigando a motivação e a autoria do crime.

Também foi identificado a atuação de um doleiro no esquema. O nome não foi divulgado. Ainda segundo a polícia, a quadrilha praticava outros crimes como fraude na utilização do BNDES e do Construcard, além de liberação irregular de gravame de veículos.

Bahia

No total, são 18 mandados judiciais na Bahia divididos entre as cidades de Salvador e Lauro de Freitas (Região Metropolitana). Com uma prisão preventiva, três prisões temporárias, seis buscas e apreensão e oito conduções coercitivas, os policiais fazem buscas nesta manhã, como na casa de Edílson.

Ainda na manhã desta quinta, agentes da PF estiveram no Edifício Costa Verde, que fica na avenida Magalhães Neto. Dos quatros mandados de prisão, três já foram cumpridos até as 9h10.

Fonte: UOL.COM.BR

Top News