Publicado em 21/10/2015 as 12:00am

Citado por delator, Lula diz dormir com "consciência tranquila"

No discurso, Lula voltou a criticar a forma como estão sendo conduzidas as investigações da operação Lava Jato

Citado por delatores da operação Lava Jato, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva afirmou nesta quarta-feira (20), em discurso em Teresina, que, apesar de o país viver um momento de "ódio", é preciso ter calma e assegurou que dorme com a "consciência tranquila".

"Não faço política esperando o agradecimento. Acho que político tem de ser que nem jogador de futebol: marcou um gol de letra ou mesmo de canela, é aplaudido, perdeu um pênalti [e] sai desgraçado do campo. Político não espera agradecimento. Você já viu mãe esperar que o filho agradeça a ela pelo prato de comida que deu pra ele? Ele ainda reclama! (...) Não espere agradecimento. Trabalhe! Porque o melhor agradecimento que você tem é deitar com sua consciência tranquila todo dia de que eu fiz o que era justo fazer para o meu país", disse.

O ex-presidente participou, na Assembleia Legislativa do Piauí, de sessão solene conjunta para a entrega dos títulos de cidadão piauiense e teresinense. Os títulos foram concedidos em 2013, mas só agora foram outorgados ao petista.

No discurso, Lula voltou a criticar a forma como estão sendo conduzidas as investigações da operação Lava Jato. "Estamos vivendo um momento inusitado, de ódio nesse país. As pessoas não precisam nem ser julgadas: as manchetes dos jornais condenam antes de saberem se tem um processo contra eles. Muita gente fica nervosa, irritada, e nesse momento é que nós temos que ter calma e perguntar por que isso está acontecendo no Brasil. Qual é a culpa tem o governo, qual é a culpa que tem o PT?", pontuou.

A última citação de Lula na investigação foi do lobista Fernando Baiano, que fechou acordo de delação premiada. Em seu depoimento, segundo o jornal "O Estado de São Paulo", Baiano afirmou que o ex-presidente se reuniu com o pecuarista José Carlos Bumlai e o então presidente da empresa Sete Brasil para tratar de negócios investigados pela operação Lava Jato. Os encontros teriam ocorrido em São Paulo e antecederam cobrança de R$ 3 milhões por Bumlai por supostamente pagar dívida de nora de Lula.

 

Boicote e agenda

A cerimônia foi boicotada pelos deputados do PSDB, que acusou o petista de ir a Teresina para tirar do foco as investigações da operação Lava Jato. Integrantes do "Movimento Vem Pra Rua" também protestaram contra o ex-presidente com trio elétrico, faixas e o já tradicional boneco inflável de Lula com uniforme de presidiário.

Lula ainda cumpre outras agendas em Teresina. Às 16h30, o ex-presidente visita uma escola pública conversar com professores, alunos e diretores. À noite, às 19h, participa de debate na Plenária de Mobilização pela Educação --evento organizado pelo PT Nacional.

Já nesta quinta-feira (22), às 10h30, o ex-presidente vai dar palestra para alunos dentro do Programa de Educação com Mediação Tecnológica.

Fonte: g1.com.br