Publicado em 27/07/2017 as 8:00am

Justiça investiga filial mineira de igreja acusada de escravizar brasileiros nos EUA

Vítimas relataram casos de doutrinação religiosa.

Justiça investiga filial mineira de igreja acusada de escravizar brasileiros nos EUA Igreja fica em São Joaquim de Bicas, na Grande BH

A Justiça investiga, desde 2009, uma igreja mineira, que é parceira da igreja Word of Faith Fellwship, acusada de manter brasileiros em condições de escravidão e de promover uma interpretação rigorosa da bíblia que incluía punição física. O caso envolvendo a instituição americana foi revelado por uma investigação da agência de notícias Associated Presss, na última semana.

A Comissão de Direitos Humanos da Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG) chegou a realizar uma audiência, em 2009, para averiguar a denúncia de que a Igreja Ministério Verbo Vivo, de São João de Bicas, na região metropolitana de Belo Horizonte estaria retirando crianças da convivência familiar, por meio de doutrinação.

A denúncia chegou até o plenário por meio de um casal que pertenceu à congregação com os filhos e relatou os casos. Na época, o homem e a mulher contaram que abandonaram a seita, mas que os dois filhos continuavam e passaram a rejeitar os pais. De acordo com o dossiê elaborado, a escola que pertence a igreja estaria fazendo uma “lavagem cerebral” nos alunos. A instituição era dirigida por dois americanos e seguiam os preceitos da igreja americana Word of Faith Fellwship.

De acordo com o TJMG (Tribunal de Justiça de Minas Gerais) o processo criminal de 2009, envolvendo a Escola Cristã Verbo Vivo foi arquivado porque o Ministério Público não ofereceu denúncia. O MP informou que ainda apura o caso, que é tratado com sigilo. Por isso, não estão autorizados a passar informações. O R7 tentou contato com a Igreja Ministério Verbo Vivo, mas as ligações não foram atendidas.

Fonte: noticias.r7.com