Publicado em 18/02/2008 as 12:00am

Trágico acidente mata paulistano em CT

Medo da imigração culmina em atropelamento com morte na I95

 

Da redação

 

Mais um brasileiro é vítima de acidente de trânsito nos Estados Unidos, desta vez, culminando em morte. O paulistano Isaias Gomes de Souza, 34 anos, estava conduzindo seu veículo no sentindo Greenwich para Porchester, no estado de Connecticut, quando chocou-se com outro carro, na Interestadual 95.

O acidente aconteceu na tarde de sábado (09) e deixou a comunidade chocada, haja vista o rol de amizades que ele possuia e sua participação ativa no meio onde vivia.

O brasileiro não morreu vítima do primeiro acidente, mas pelo fato de ter ficado assustado e, temendo que a polícia o entregasse nas mãos da imigração por estar vivendo ilegalmente neste país, saiu correndo do local, tentando fugir.

Ao atravessar a pista foi atropelado por um caminhão que vinha no outro sentido. Isaias morreu no local do acidente e o caixão não foi aberto durante o velório devido o corpo ter ficado bastante desconfigurado.

Ele trabalhava em uma companhia de construção civil estabelecida na cidade de New York-NY e residia nos Estados Unidos havia oito anos. O corpo do brasileiro, velado durante o domingo na igreja Dom Bosco, foi transladado ao Brasil na noite do mesmo dia.

Isaias era solteiro e morava sozinho na cidade de Porchester. Como ele era uma pessoa religiosa e muito ligado à sua comunidade, a cerimônia foi celebrada por um padre e um pastor. Ele nasceu dia 18 de março de 1974.

 

POLÊMICA

A morte do brasileiro reacende uma questão em pauta na comunidade de Connecticut. Recentemente os vereadores de Danbury-CT, em parceria com o prefeito, Mark Boughton, aprovaram a lei 287 onde prevê uma parceria entre o Departamento de Polícia local e o Immigration and Customs Enforcement-ICE. Políciais serão treinados para agir com "status de agente de imigração".

Apesar da lei ter sido aprovada apenas na cidade de Danbury, os brasileiros que moram em outras localidades do estado estão preopcupados e "evitam a polícia  a qualquer custo". A babysitter goiana Analice Vasconcelos (26), mora em Bridgeport e conhecia Isaias.

Ela disse que "se não fosse os fortes comentários de que a lei irá se espalhar pelas demais cidades de Connecticut, o brasileiro ainda estaria vivo". Analice culpa os responsáveis da aprovação deste projeto pela morte de Isaias. "Se não existisse a lei, ele não temeria a chegada da polícia", fala salientando que mesmo não se aplicando na região onde ele morava, muitos estão receosos com uma provável perseguição policial aos imigrantes ilegais.

Fonte: (Brazilian Times)