Publicado em 21/03/2008 as 12:00am

Comércio em baixa na região de Framingham

Marlborough e Milford também registram baixas na vendas

 
Na região de Framingham, Marlborough e Milford, os moradores estão preocupados com o regresso a um passado sombrio, onde esses locais pareciam um deserto, cheio de detritos e crivada de crime antes dos empresários imigrantes dar nova vida a região.
Essas cidades ainda têm a maioria de suas lojas, mas a sua clientela está em baixa. Os imigrantes estão voltando para casa deixando empresários com uma redução de vendas e um futuro financeiro incerto.

"Estou sempre preocupada com essa baixa," disse Susan Clark Trotta diretora da 'Milford Desenvolvimento Comunitário'. Na Main Street de Milford,  a empresária brasileira Marisol Carper concorda. Sua loja, onde vende produtos brasileiros, traduz documentos e envia dinheiro para o Brasil, está ficando vazia depois que os brasileiros começaram a ir para casa cansados de imigração, o agravamento da taxa de câmbio entre o dólar e a moeda do Brasil, e o marasmo econômico. "Muita gente vai embora,''disse. "Mas aqueles que ficaram estão ganhando mais, e o aluguel é mais barato. As pessoas estão esperando para ver como o novo presidente irá lidar com a imigração. As coisas não estão ruins agora, mas elas poderiam piorar, tenho dúvidas do que o próximo ano vai trazer para o meu negócio.''

Em Marlborough, quatro diferentes empresas na Main Street fecharam as portas. Na cidade, Alexandra Silva, que gerencia um salão de beleza em East Main Street, foi atingida com um decréscimo de 25 por cento negócio.
Em Framingham, John Steacie, presidente da Framingham Downtown
Renaissance, conta que há muitas lojas vazias. Entre as fechadas estão: o ex-Almoço Express, Pizza brasileira, a antiga casa Richard's, que funciona no Edifício Memorial. E há apenas alguns dias atrás, um restaurante brasileiro colocou-se um sinal: "Fechado Temporariamente, '' em inglês e português. "Eu estou muito preocupado," disse.

"Lembro-me que há 20 anos atrás, essa região estava praticamente deserta, até que os brasileiros começaram a abrir lojas. Eu odeio vê-la voltar ao que era antes.''
Os planos já estão em curso para ajudar imigrantes empresários de Framingham a enfrentar a dura fase. Um seminário sobre a forma como as empresas imigrantes podem ampliar sua clientela será realizado no final de março, disse Ted Welte, presidente do MetroWest Chamber of Commerce.

"Empresários brasileiros chegaram no início dos anos 1990 e construiram uma vigorosa fonte de negócios sobre o comércio local,''disse Welte. "Mas, com o fracasso da reforma da imigração no ano passado, muitas pessoas sentiram que era hora de ir para casa." (Reportagem traduzida a partir do jornal MetroWest)

Fonte: (metrowestdailynews)