Publicado em 21/03/2008 as 12:00am

IMIGRAÇÃO : Batida do ICE gera pânico em Lowell

Blitz do ICE, assusta funcionários e clientes da loja de remessas Global Money

Elizabeth M. Simões

 

 

 

A Global Money, loja de remessas de dinheiro, situada na cidade de Lowell - Massachusetts, foi alvo de uma blitz na quarta-feira (19). Os agentes do Immigration and Customs Enforcement - ICE, chegaram às 10 horas e permanceram no local até às 14 horas.

Clientes da loja que chegaram durante este período foram surpreendidos por 15 agentes que portavam distintivos do ICE. Renato Nepomuceno, um cliente regular da loja, esteve no local e contou como foi a operação. "Não haviam carros estacionados ou qualquer sinal que indicasse a presença deles. Eu entrei para pagar a conta de luz e no primeiro relance achei que a loja estava cheia, mas em poucos segundos um oficial apresentou-se e requeriu minha identidade. Do lado de fora não dava para imaginar que houvesse uma cena dessas".

Depois de entregar a carteira de motorista, ele foi questionado sobre o seu "status migratório" no país e justificou a sua estada com o registro de permissão de trabalho, porém o documento estava vencido. Ciente da condição de Ricardo, o agente reteve a sua carteira de motorista e entregou uma ordem para que ele procurasse o escritório do órgão. Checaram a ficha criminal do brasileiro e nela constavam duas passagens pela Corte, formalizadas pelo departamento de trânsito do estado.

Ricardo deverá apresentar-se no escritório de Imigração, em Boston, para responder sobre a sua investigação.

Os agentes foram amigáveis e sugeriram que ele levasse o passaporte, além das certidões de nascimento das duas filhas de 2 e 4 anos de idade, um dos policiais disse que isso poderia ajudar no processo de deportação, caso ele seja indiciado pela corte. "Eu já consultei meu advogado e acredito que terei respaudo para permanecer no país", falou com otimismo.

Na pasta em que foi guardada a carteira de motorista de Ricardo estavam outros documentos de brasileiros, que também foram apreendidos.

Outro cliente desprevenido aproximou-se da porta e tentou entrar, mas ao notar o movimento estranho fugiu correndo.

Do lado de fora, um dos veículos utilizados na blitz estava estrategicamente posicionado para não atrair a atenção dos imigrantes, o carro, uma Dodge Caravan com uma película escura nos vidros foi avistada por Ricardo, mas apenas quando ele deixou o local.

Comerciantes da região fecharam as portas, assustados com a possibilidade de serem pressionados pelo ICE. Até o fechamento desta edição, a equipe de reportagem do jornal Brazilian Times não conseguiu localizar proprietário da Global Money de Lowell. A atendente Vanessa foi detida na Blitz e liberada na tarde do dia seguinte depois de assinar alguns papéis no escritório da imigração. A loja não abriu ao público no dia seguinte.

Segundo testemunhas, Vanessa foi procurada pelos agentes da imigração um dia antes da blitz acontecer. Eles buscavam uma brasileira identificada por Adriana, estudante do ensino médio. Ela e a mãe, Sandra, teriam sido o principal motivo da investigação.

Conforme relatos, Sandra foi acusada de ter forjado o casamento com um norte-americano e teria desrespeitado a carta de deportação emitida pelas autoridades. As testemunhas também atribuiram a blitz à abertura recente de um escritório da imigração, instalado na cidade de Burlington-Ma, em novembro de 2007.

Todos os nomes dessa reportagem são fictícios, à pedido dos informantes.

Fonte: (Brazilian Times)