Publicado em 30/03/2008 as 12:00am

Depressão leva brasileiro ao suicídio em Waltham

Ele tinha apenas uma prima morando nos Estados Unidos e ela depende de ajuda para que o corpo seja transladado ao Brasil

Luciano Sodré

 

 

O capixaba de Colatina, Luis Alberto Guerra, 38 anos, morreu vítima de suicídio por emforcamento neste domingo (30). Segundo informações obtidas pelo Departamento de Polícia da cidade de Walthan-Massachusetts, onde o brasileiro residia com um casal de amigos, o corpo foi encontrado por volta das 19 horas, "mas não sabe-se ao certo o horário em que ele se matou".

Beto Guerra, como era mais conhecidos entre os amigos, estava separado da esposa, que reside no Brasil com a qual tinha um filho de oito ano de idade. Em abril estaria completando quatro anos que ele morava nos Estados Unidos.

Em conversa por telefone, Sandra Helena Guerra, prima do brasileiro, disse que Beto já havia comprado a passagem para voltar ao Brasil mas que havia adiado a data. "Ele estava atravessando um tratamento para curar a depressão", explica ela, como um dos prováveis motivos que o levou ao suicídio.

A prima conta que na quinta-feira (27), três dias antes da morte de Beto, ela deixou o trabalho mais cedo e foi até o local onde ele morava. "Eu pedi para que ele procurasse ajuda, pois há cerca de cinco dias ele ficava trancado em um quarto (num basement) escuro e sem ventilação", fala salientando que estava muito preocupada com o parente.

Segundo ela, Beto Guerro trabalhava em uma padaria como ajudante geral mas desde o início da semana passada não estava cumprindo com suas obrigações. José Élcio, que morava no mesmo prédio que ele, disse á polícia que havia comentado com o capixaba para que ele movimentasse seu carro, na rua, pois poderia levar uma multa, mas o brasileiro não se importou com o aviso.

 

CAMPANHA

Segundo Sandra, os serviços funarários ficarão em torno de 5 mil dólares (cerca de R$ 8.700,00) e que passaria de 10 mil dólares somado-se às depesas de translado. Tanto ela, quanto a família, no Brasil, não dispõem deste valor e diante disso estará sendo realizada uma campanha para ajudar a cobrir os gastos.

Ela cita que estará entrando em contato com a agência onde o brasileiro havia comprado a passagem para tentar negociar o valor pago e canalizá-lo para os custos de envio do corpo.

Os interessados em contribuir podem entrar em contato com Sandra, através do telefone (617) 787-6590. "Eu já avisei a família dele no Brasil e eles exigem que o corpo seja enterrado lá", conclui.

 

 

Depressão ? uma doença que leva à morte

A depressão é uma palavra comumente usada para descrever os sentimentos de uma pessoa. Mas, estudos mostram que enquanto ela é vista como um evento psiquiátrico, torna-se algo bem diferente e perigosa. É uma doença como outra qualquer e exige tratamento.

Ao contrário do que se imagina, quem incentiva uma pessoa em depressão a reagir ou buscar meios para se distrair, não está ajudando e sim, empurrando-o para um mundo mais deprimido. Conforme especialistas no assunto, o mais correto é ouvior o que um deprimido tem a dizer e aconselhá-lo a procurar um professional.

Os sintomas centrais de quem sofre de depressão são: Perda de energia ou interesse, humor deprimido, dificuldade de concentração, alterações do apetite e do sono, lentificação das atividades físicas e mentais e sentimento de pesar ou fracasso.

Outros sintomas que podem vir associados aos sintomas centrais são:  Pessimismo, dificuldade de tomar decisões, dificuldade para começar a fazer suas tarefas, irritabilidade ou impaciência, inquietação, achar que não vale a pena viver; desejo de morrer, chorar à-toa, dificuldade para chorar, sensação de que nunca vai melhorar, desesperança, dificuldade de terminar as coisas que começou, sentimento de pena de si mesmo, persistência de pensamentos negativos, queixas freqüentes, sentimentos de culpa injustificáveis, boca ressecada, constipação, perda de peso e apetite, insônia e perda do desejo sexual

Basicamente existem as depressões monopolares (este não é um termo usado oficialmente) e a depressão bipolar (este termo é oficial). O transtorno afetivo bipolar se caracteriza pela alternância de fases deprimidas com maníacas, de exaltação, alegria ou irritação do humor. A depressão monopolar só tem fases depressivas.

Para afirmar-se que o paciente está deprimido é necessário ter a certeza de que ele sente-se triste a maior parte do seu tempo, não tem tanto prazer ou interesse pelas atividades que apreciava, não consegue ficar parado e pelo contrário movimenta-se mais lentamente que o habitual. Passa a ter sentimentos inapropriados de desesperança desprezando-se como pessoa e até mesmo se culpando pela doença ou pelo problema dos outros, sentindo-se um peso morto na família. Com isso, apesar de ser uma doença potencialmente fatal, surgem pensamentos de suicídio. Esse quadro deve durar pelo menos duas semanas para que possamos dizer que o paciente está deprimido.

Fonte: (Brazilian Times)