Publicado em 8/05/2008 as 12:00am

Escola Woodrow Wilson e comunidade de Framingham dão show de brasilidade

Há três anos, quando um pequeno grupo de pais brasileiros, reunidos na Associação de Pais e Mestres, decidiu fazer uma festa caipira para ajudar a arrecadar dinheiro para socorrer a entidade que passava por dificuldades, não imaginava a dimensão que a ini

Da redação

 

Há três anos, quando um pequeno grupo de pais brasileiros, reunidos na Associação de Pais e Mestres, decidiu fazer uma festa caipira para ajudar a arrecadar dinheiro para socorrer a entidade que passava por dificuldades, não imaginava a dimensão que a iniciativa tomaria.

No seu terceiro ano de existência, a "Farm Party", da Woodrow Wilson, já se tornou parte do calendário oficial da escola e tem sido o maior meio de arrecadação de fundos do PTO e figura entre as grandes festas comunitárias em Massachusetts.

No sábado (05), cerca de 1500 pessoas disputavam um espaço nos salões da escola, seja para assistir aos filhos dançando uma bela quadrilha, seja para levá-los para brincar nos jogos ou para saborear um delicioso prato de isca de carne com mandioca frita, ou milho cozido, caldo de feijão e outras delícias, ou ainda só pra bater um bom "papo à brasileira".

Crianças vestidas a caráter corriam para lá e para cá enquanto o voluntário DJ anunciava o sorteio de mais de 60 prêmios, desde de cd's, cestas especiais, gift certificate, duas bicicletas e um vídeo game Wii.

O diretor da Escola, Mr. Robin Welch, que já recebeu prêmios nacionais por sua atuação como Diretor, disse que "lá dentro de mim, me sinto brasileiro, fico muito feliz em poder ajudar a promover esta festa em nossa escola. Um dia ainda vou ao Brasil vivenciar mais de perto esta cultura."  Mr. Welch vestia um macacão lilás, bem ao estilo "da roça", e disse estar pronto para "cair na dança".

Na cozinha, sob o comando de Valdir Mendes, a alegria dos voluntários contagiava, em meio à agitação de milhares de pedidos dos convidados.

Ao todo cerca de 50 voluntários trabalharam durante dois meses, coletando doações, ensaiando quadrilha, recortando bandeirolas, fazendo contatos, divulgando e espalhando entusiasmo.

Ana Velasco, Psicóloga e Conselheira da escola disse que 85% dos alunos falam diferentes idiomas, sendo 70% brasileiros. E neste contexto, é de suma importância a realização desta festa da cultura brasileira, afirmou Ana, lembrando que a arrecadação da festa beneficiaria a todos os alunos, independente de sua nacionalidade.

Antes do balanço final da festa, a presidente do PTO, Anita Chaves adiantou que a arrecadação seria em torno de nove a dez mil dólares. "Vamos poder continuar investindo na educação de nossas crianças", disse empolgada, com a festa e promotendo que ano que vem tem mais.

Fonte: (Brazilian Times)