Publicado em 27/05/2008 as 12:00am

Brasileiros vivem "boom" do consumo, diz NYT

Há mais consumidores no país, segundo a reportagem

A crise americana não afeta mais a América Latina como anteriormente e a região encontra-se "menos acorrentada às fortunas dos Estados Unidos", sugere uma reportagem publicada na edição de 24 de Maio, sábado, do jornal New York Times. "Enquanto os consumidores americanos estão apertando os cintos, os brasileiros estão gastando como se a palavra recessão não existisse no Português", diz o artigo. O jornal cita ainda uma declaração do diretor executivo de pesquisas da empresa Morgan Stanley no Brasil, Marcelo Carvalho, que afirma: "antigamente, quando os EUA espirravam, o Brasil pegava uma pneumonia, mas esse já não é mais o caso". De acordo com a reportagem, a classe média brasileira está crescendo e "mais brasileiros têm mais dinheiro".

 

Fatores

O NYT atribui o bom momento econômico e a vitalidade brasileira à uma combinação de fatores, entre eles a valorização das commodities, impulsionada pela demanda da China, que trouxe dinheiro e gerou empregos. Além disso, o jornal diz ainda que o investimento externo dobrou, especialmente no mercado de ações ? "um dos que mais cresce no mundo". A reportagem ressalta, também, que o controle da inflação, "graças à administração competente do presidente Luiz Inácio Lula da Silva", também contribuiu para o bom momento econômico que os brasileiros atravessam. Esse bom período, analisa o NYT, gerou uma sensação de segurança na classe média brasileira, que sentiu-se segura para fazer empréstimos, o que também estimulou o boom do consumo no país. Segundo o artigo, o boom econômico e de crédito fizeram com que bens como carros, casas e aparelhos eletrônicos ficassem ao alcance de 20 milhões de brasileiros como em nenhum outro momento. "Pessoas que não eram consumidores se transformaram em consumidores", disse ao jornal o presidente da Associação Nacional de Crédito, Erico Ferreira. "Todos estão levando mais dinheiro para casa. Se você quer crédito, você pode conseguir", afirmou ao NYT.

Fonte: (folha online)