Publicado em 5/06/2008 as 12:00am

Jogadores da seleção falam pouco mas não escondem a confiança na vitória

Mesmo Dunga proibindo seu selecionado de dar entrevistas, Brazilian Times conversa com alguns jogadores

Elizabeth M. Simões

 

Na noite de terça-feira (03) alguns jogadores da seleção brasileira, que joga contra a Venezuela dia 06, estiveram jantando nos Restaurantes Midwest Grill, em Cambrigde, e Oasis, em Medford, ambas as cidades em Massachusetts. Durante o jantar, a equipe de reportagem do jornal Brazilian Times conseguiu "arrancar" uma entrevista, mesmo diante da proibição do técnico Dunga para que eles não conversassem com a imprensa, "principalmente com veículos brasileiros". Foi o que disse o goleiro reserva Dony.

No Midwest Grill, os jogadores Juan, Lúcio e Dony, jantaram tranquilamente, mas no Oasis, o tumulto exigiu a presença da polícia pois lá estavam Elano, Luisão, Gilberto Silva, Robinho, Luis Fabiano, Diego  e Josué ? parte das maiores estrelas da seleção neste amistoso.

Timidamente, Dony e os demais jogadores deixaram escapar a confiança em uma vitória sobre a Venezuela. "Mas ela é uma equipe que pode surpreender e mesmo o Brasil estando em uma boa fase temos que jogar respeitando o adversário", ressaltou Juan.

Indagados se a proibição de dar entrevistas aconteceu devido devido à vitória apertada sobre o Canadá por 3 x 2, no sábado (31 de maio), todos se mantiveram em silêncio. "Quando saimos de Seattle-Washington e embarcamos no avião, nos aplaudiram quando foi anunciado a nossa presença a bordo", ressalta Lúcio.

Dony disse que na segunda-feira (02), a grama foi colocada no estádio do Gillette Stadium, onde acontecerá o amistoso. "Alguns dos jogadores estiveram no local para  reconhecimento de campo, "haja vista que maioria deles já atuaram neste mesmo gramado contra o México".

Lúcio disse que os primeiros treinos aconteceram no Babson College, Wellesley, em Boston e que o técnico Dunga focou a parte física, "sem conotação tática". Dony, que será rerserva de Júlio César, disse que está preparado para jogar assim que o treinador lhe chamar. "Confio na capacidade de Júlio, mas estou pronto para atuar", acrescenta ele. Os jogadores ganharam a tarde de terça-feira (03) de folga após o trabalho.

"Não sabemos o real planejamento do Dunga, se é dar ritmo ao time que está jogando ou fazer alguns testes. Mas eu, particularmente, gostaria de estar nessa partida", disse Robinho, seguido por seu companheiro de ataque, Luís Fabiano. Os dois deram esta declaração ao site UOL assim que terminou o jogo contra o Canadá. "A idéia é nunca sair do time. Em toda oportunidade que se tem, você precisa provar que merece ser titular. Não gostaria de descansar."

O zagueiro Lúcio, por sua vez, diz que quer estar em campo, principalmente para manter o ritmo para os jogos das eliminatórias. "Não existe essa história de jogo preparatório. Toda vez que esse time entra em campo, é a seleção brasileira. Por isso é bom estar na equipe para honrar essa camisa. Esse jogo vai ser importante para pegar ritmo para enfrentar Paraguai e Argentina", conclui.

Fonte: (Brazilian Times)