Publicado em 18/06/2008 as 12:00am

Brasileiro morre afogado em Plymouth-Massachusetts

Ele estava em uma lagoa no Morton Park com a namorada

Luciano Sodré

ANBT ? Agência de Notícias Brazilian Times

 

(Plymouth-Massachusetts) ? Com apenas 29 anos de idade o brasileiro idenfiticado por Marcelo Pereira de Oliveira morreu na tarde de quinta-feira (12) afogado na lagoa no Morton Park, localizado na cidade de Plymouth, em Massachusetts.

Segundo o capitão de polícia, Botieri Michael, o afogamento aconteceu por volta das 17 horas, quando Marcelo entrou no lago e "aparentemente teria se distanciado da margem onde estava sua namorada", acrescenta salientando que ele se afogou as 16h45m e o corpo foi encontrado às 17h35m.

No depoimento de algumas testemunhas, a namorada estava dormindo e meia hora depois acordou e percebeu que seu namorado não estava nas imediações e "começou a gritar".

O resgate chegou assim que ela chamou por ajuda e alguns bombeiros entraram na água. Quando o corpo de Marcelo foi encontrado, antes de ser colocado na ambulância, a equipe tentou reanimá-lo às margens do lago.

Ainda na tentativa de fazer o brasileiro voltar à vida, eles faziam massagens enquanto levavam o corpo para o interior da ambulância e posteriormente para o Hospital Jordânia. Mas as muitas tentativas de reanimá-los foram em vão. Ao chegar no hospital ele foi declarado morto.

Laura Mulligan, 15, que estava no local disse que viu o desespero dos paramédicos na tentativa de reavivar o brasileiro. "Eles ficaram pelo menos 10 minutos fazendo massagens e outras operações para trazê-lo de volta à vida", relatou.

Marcelo é natural de Conselheiro Pena, em Minas Gerais, e estava morando nos Estados Unidos havia nove anos.

Em conversa por telefone, Mirian Botelho da Silva, única parante de Marcelo neste país, disse que o brasileiro estava com a data marcada para retornar ao Brasil. "Ele já tinha comprado uma passagem para o dia 10 de julho", fala.

Marcelo, segundo Mirian, era uma pessoa dedicada ao trabalho e divida seu tempo em três trabalhos: limpeza, entrega de jornais e restaurante. "Ele quase não tinha tempo para diversões e tampouco ir ao lago", acrescenta.

 

TRANSLADO

Miriam disse que procurou a companhia onde Marcelo havia comprado a passagem e explicado o que havia acontecido "no sentido de negociar o valor pago e convertê-lo para ajudar nos custos do envio do corpo ao Brasil. "Os pais dele estão desesperados e diante disso eu resolvi levar por conta própria", fala ressaltando que está entregando para a direção da Funerária um cheque no valor de $10 mil (pouco mais de R$ 16 mil reais).

Ela fala que as pessoas que desejarem ajudar nestas despesas podem entrar em contato através do telefone (508) 732-9207. "Irei desembarcar em São Paulo e pegar um avião para o Rio de Janeiro, onde haverá um carro da funerária esperando para pegar o corpo", conclui.

Fonte: (ANBT - Agência de Notícias Brazilian Times)