Publicado em 3/07/2008 as 12:00am

Polícia quer localizar os brasileiros donos de caixas que deveriam ter sido enviadas ao Brasil

Stoughton -MA) Na terça-feira (1º), o depósito pertencente a empresa transportadora Massachusetts Enterprise foi desativado por falta de pagamento do aluguel.

Por Elizabeth M. Simões

 

(Stoughton -MA) Na terça-feira (1º), o depósito pertencente a empresa transportadora Massachusetts Enterprise foi desativado por falta de pagamento do aluguel.  Com isso,  cerca de 50 caixas ficaram sob custódia provisória do departamento de polícia da cidade à espera dos reclamantes brasileiros. O Detetive Romeiro, procurou a apresentadora de TV, Shirley Faber, do programa Bate Papo, para ajudar a informar aos brasileiros a maneira como recuperar as encomendas.

Em conversa, por telefone, com o oficial Lima, ele comunicou que os clientes que enviaram caixas pela Mass Enterprise e que não chegaram ao destino programado podem localizá-las através do número de recibo. Como a numeração é a única identificação do remetente, a polícia conta com o interesse da comunidade para conseguir devolver as mercadorias.

Quem perdeu o comprovante poderá descrever detalhadamente o conteúdo das caixas para provar a posse delas. O oficial enfatizou que a polícia de Stoughton quer que os imigrantes recuperem os seus bens, "Não à razão para os brasileiros temerem em nos procurar. Eles podem ligar para o detetive Romeiro no telefone (781) 344-2424 ou vir diretamente a delegacia, nós dois falamos o idioma português", disse.

A reportagem do Brazilian Times apurou que nenhum boletim de ocorrência contra os donos da Mass Enterprise foi registrado na delegacia de Stoughton. Shirley, também divulgou o telefone dela (781) 975-1009, caso algum imigrante ainda prefira falar através de seu intermédio. "Uma das caixas continha um telefone de contato e a polícia tentou falar com o proprietário dela, mas este brasileiro assustou-se com a ligação e desligou imediatamente. Numa nova tentativa, eu usei o meu telefone e consegui tranquilizar a pessoa sobre a entrega de seus objetos. Mais confiante, ele irá retirar a encomenda com os policiais", contou Shirley.

A apresentadora também conversou com os donos da Mass Enterprise, Joe e Eliene Edwards. Ela foi recebida na casa deles e teve acesso à cópias de documentos que atestam o pedido de falência da companhia. "Eles justificaram que até o final do ano passado tinham uma parceria com a empresa Rio Maia e que essa transportadora seria responsável por repassar o dinheiro das remessas, no intuito de cobrir as despesas do envio das caixas. Edward disse que Carlos Maia recebia o pagamento dos clientes, e no entanto, não repassava as quantias necessárias para efetuar o transporte. Quando decretou falência, Edward prontificou-se a devolver as encomendas, mas a lista com os nomes e telefones dos clientes está nas mãos de Maia, que não a entregou, mesmo mediante cobranças realizadas por Edward", relatou Shirley.

Desde então a Mass Enterprise manteve as caixas estocadas no depósito e algumas delas na própria residência dos Edward's, afirma. "Clientes que usaram o serviço em Janeiro de 2007 ou após esse período agora tem a chance de resgatar as caixas", completou a apresentadora.

 

PERDAS - Alessandra da Silva contratou a Mass Enterprise para enviar a mudança dos seus filhos à cidade de Coronnel Fabriciano-MG. "Mandei 5 caixas, no total, com brinquedos e outros objetos. Até agora encontrei 4, sendo que, uma das caixas achadas no depósito da Mass Enterprise faltava o ventilador dos meus filhos. Uma outra encomenda contendo o computador deles, no valor aproximado de $1,500, nunca foi encontrada. Cinco dias atrás, uma mulher chamada Euza Pereira ligou propondo que eu pagasse mais $120 para que ela despacha-se essa última caixa para o Brasil.", disse Alessandra.

Durante uma entrevista por telefone com Carlos Maia, Euza Pereira foi localizada dentro do escritório da Rio Maia, ela informou que estava no local por coincidência, "Carlos cedeu o computador para que eu pudesse enviar uns e-mails para o despachante do container no Brasil. Eu não tenho computador em casa", disse.

Ao ser perguntada sobre a proposta feita para Alessandra, ela argumentou: "Descobri que as minhas caixas estão no mesmo container de Orlando Tomas. E, para acertar as taxas da Receita Federal nós precisaríamos de $8,000. Como sei que outros clientes, também têm caixas detidas no porto, estou tentando ratear o valor e liberar a carga", justificou Eulza.    

 

APELO - Em Março, por intermédio do radialista Ilton Lisboa, Alessandra reuniu-se a um grupo de clientes lesados pela empresa para formalizar uma queixa conjunta na delegacia de polícia de Marlboro. "Os brasileiros deveriam unir-se novamente e requisitar uma investigação policial, e assim, localizar definitivamente todas a caixas. Além disso, é necessário requerer também uma indenização por possíveis saques, perdas e até mesmo falha nos serviços oferecidos", recomendou Ilton Lisboa.

Ciente do fechamento do depósito, o presidente da entidade Assistência Total, Carlos da Silva, procurou a redação do BT para comentar o assunto, "O brasileiro não pode ficar a mercê da sorte, ele tem o diretito de ser ressarcido pelos prejuízos causados pela transportadora", disse Carlos, que em seguida anunciou o seu telefone para atendimento gratuito (617) 773-2006.

O dono da Mass Enterprise não foi localizado pela equipe de reportagem, até o fechamento dessa edição.

 

RIO MAIA ? Em entrevista, Carlos Maia esclareceu que, "jamais ficou com o dinheiro das caixas e que era comissionado para realizar as coletas das encomendas no endereço dos clientes. Depositava o pagamento dos clientes na minha conta particular, no banco, e todos os valores foram repassados. Tenho como provar porque, foram descontados $36,000 em cheques emitidos, favorecendo o Edward", disse.

Sobre o cadastro dos clientes que serviria para ajudar a localizar as caixas, Maia respondeu, "Edward está mentindo! As notas foram entregues, cheguei a guardar algumas cópias, mas não tenho todas comigo", e desabafou, "Estou perdendo clientes injustamente, já entreguei as provas na delegacia de Marlboro e estou disposto a colaborar com as investigações", disse.

Fonte: (ANBT - Agência de Notícias Brazilian Times)