Publicado em 7/07/2008 as 12:00am

Mineira morre atropelada no centro de Boston, em Massachusetts

Ela estava prestes a receber o Green Card

 

Luciano Sodré

Agência de Notícias Brazilian Times

Mais uma tragédia chocou a comunidade brasileira dos Estados Unidos. Na manhã de quinta-feira (03), a mineira de Engenheiro Caldas, Maria das Graças Mendes Silva, 47, morreu vítima de um atropelamento. O acidente aconteceu na Newbury Street, na cidade de Boston.

Rosélia Foehner, filha da mineira, disse que sua mãe trabalhava em um restaurante e também como "housekeeper". No momento do acidente, segundo relata emocionada, Maria estava indo para o segundo emprego, quando foi atingida por um veículo da marca Cherokee, conduzido por uma canadense de 20 anos de idade.

Ela conta que, segundo os relatos policiais, a motorista estava "dando ré em seu carro quando acertou a sua mãe". "Pelo que me foi passado, ela manobrou o automóvel para trás a uma velocidade de pelo menos 15 km/h", acrescenta.

Maria morreu no local e o corpo foi levado para o Boston General Hospital, de onde foi liberado no fim de semana. Rosélia fala que o velório acontecerá, amanhã (08), entre 16 às 20 horas, na Rogers Funeral Home, localizada no 380 da Cambridge Street, em Cambridge-Massachusetts.

Na quarta-feira (09), acontecerá, na Paróquia de Santo Antônio, em Somerville, uma missa, onde estarão presentes os parentes e amigos de Maria. Rosélia convida a todos para participar. O corpo será enviado para o Brasil ainda esta semana e as despesas de translados ficarão acima de $10 mil (pouco mais de 16 mil reais). A família espera contar com ajuda de pessoas que se sensibilizarem com o caso, para ajudar a custear este valor. Os interessados podem entrar em contato através do telefone (617) 461-9664.

GREEN CARD

Ainda em relação ao acidente, Aracely Araújo, sobrinha da vítima, disse que o fato aconteceu por volta das 11h30m do dia 3 e a família foi comunicada somente às 14 horas. Maria das Graças tinha três filhos morando nos Estados Unidos e uma filha, a caçula, no Brasil.

A mineira vivia nos Estados Unidos havia 10 anos, e estava com seu processo de legalização bastante avançado. Conforme conta Aracely, ela já havia participado da "temida entrevista e fôra aprovada. Estava apenas aguardando o Green Card". Entre os maiores sonhos de Maria estava o de regressar ao Brasil para ver sua filha caçula, a qual não via há 10 anos.

Fonte: (Agência Brazilian Times de Notícias)