Publicado em 22/07/2008 as 12:00am

Agência Bancária sem fins lucrativos favorece a comunidade imigrante

O CPCU funciona como uma cooperativa "Os correntistas não são clientes. Eles são os próprios donos do banco", diz o chefe executivo.

Os bancos não são todos iguais, especialmente quando se trata de uma instituição financeira sem fins lucrativos. A agência bancária portuguesa, CPCU, mantém duas agências bancárias localizadas em Somerville e Cambridge, com o propósito de facilitar a vida financeira dos imigrantes que precisam criar e movimentar contas bancarias e linhas de crédito.

Conforme Rui Domingos, chefe executivo do Credit Union, o foco é prestar um atendimento que leve em consideração a adaptação do cliente em seu novo cotidiano. "Funcionamos como uma cooperativa, isso significa que cada usuário é um membro do CPCU e poderá sugerir melhorias na sua organização ou até mesmo votar para escolher os membros do conselho diretivo. Como essa é uma instituição que não visa lucratividade a receita obtida com os sócios permite a criação de programas financeiros que são revertidos em beneficio deles próprios e de programas sociais", explicou Domingos.

Inicialmente a prioridade é facilitar aos imigrantes o acesso "a uma instituição bancária séria, sólida e de boa reputação, possibilitando assim o depósito e trocas de cheques gratuitos", disse Domingos. Para se tornar membro do CPCU, o novo correntista deve ter um documento de identificação, que pode ser do seu próprio país de origem, e comprovante de residência. Para adquirir empréstimos, além de ser membro do CPCU, o correntista deve possuir o Social Security ou o Individual Taxpayer Number (ITIN). Depois, com essa mesma documentação, a vantagem transcende as expectativas desses usuários, possibilitando a abertura e o aumento do crédito para aquisição de cartões, a compra ou o refinanciamento de carro ou mesmo de um empréstimo pessoal.

Além da facilidade de adquirir esses financiamentos, normalmente com as menores taxas do mercado financeiro, os clientes têm  também a oportunidade de consultar os especialistas do CPCU no idioma português e aprender como manter as suas despesas baixas e evitar dívidas que causem perdas do patrimônio acumulado. "Pelo contrário, o CPCU investe na conscientização desses correntistas e fornece suporte para que eles possam obter sucesso nas suas transações bancárias", disse Domingos.

 

ADMINISTRAÇÃO DOS BENS

 ? bom uso do capital

 

Rui Domingos deu um exemplo prático de como manter o valor das prestações baixas ao comprar a casa própria e jamais cogitar a penhora dos bens por inadimplência, "A maioria das pessoas que fecharam contratos com taxas de juros variáveis tiveram reajustes crescentes que elevaram o valor das parcelas gradativamente, até elas tornarem-se impagáveis, isso provocou as quebras contratuais e a posterior perda da propriedade.

Para conter esse problema, Domingos explica, "o ideal seria que este comprador tivesse optado por juros fixos. Esse é um termo fundamental que os nossos funcionários e especialistas explicam para assegurar que os imigrantes possam sustentar a família sem preocupar-se com uma operação arriscada que poderá provocar grandes prejuízos e até mesmo a falência do imigrante.", disse.

Enquanto o chefe executivo falava abertamente sobre como os correntistas podem proteger-se dos juros altos, ao mesmo tempo ele dismistificava a maior ambição dos bancos, pois as instituições financeiras almejam contratos variáveis, porque esse tipo de empréstimo é mais lucrativo aos cofres privados.

Ao ser interrogado sobre como ajudar os clientes de outros bancos que já firmaram esse tipo de contrato, o executivo respondeu, "Ele poderá nos procurar e ter uma análise gratuita da possível redução e fixação de juros", e acrescentou, "Essa análise contratual também pode ser feita em financiamentos e refinanciamento de veículos. Ainda existem muitos motoristas assumindo juros de 18%  ou mais no pagamento da mensalidade, sendo que, eles poderiam reduzir a porcentagem no CPCU dependendo das condições de pontuação de crédito", disse Domingos.

Quando o assunto é a compra do carro novo ou usado, o executivo revela mais uma vantagem da instituição sem fins lucrativos, "Nós conseguimos oferecer financiamento de carro novo ou usado com juros anual baixo, como 3,99%. Isso representa quase 2% a menos que a média praticada por outros bancos.", disse Domingos.

Com o percentual menor, o imigrante economiza o suficiente para custear outras despesas pertinentes à compra do veículo, como por exemplo, no seguro obrigatório, ou acrescentar o saldo poupado à própria renda familiar. Para mais informações sobre o CPCU, ligar no telefone (617) 547-3144. ou acesse www.cpcu.org      

Fonte: (Brazilian Times)