Publicado em 25/07/2008 as 12:00am

Terceira parte da série de reportagens 'Quer ir embora por quê?'

Razões existem, mas "pesando" bem, o seu lugar é Aqui e Agora!

O que estamos querendo mostrar com essa série de reportagens é simplesmente uma relação entre o custo de vida no Brasil e nos EUA, comparados a seus salários e ganhos normais. Se usarmos como exemplo uma família de 4 pessoas, em que pai e mãe trabalham (tanto no Brasil quanto em Boston e, consequentemente, nos EUA), vamos encontrar uma média salarial de R$1.200 reais no Brasil e $2.400 dólares nos EUA. Isso quer dizer, em outras palavras, que a "poupança" é muito maior nos EUA, permitindo que a familia que mora aqui, envie dinheiro para os seus investimentos de lá!

Muitos investem e preferem ir ficando por aqui mesmo, ainda que a situação seja de fato sombria e ainda imprevisível, no sentido de chegar-se a um acordo para legalizar os mais de 12 milhões de indocumentados do país. É possível, até que um novo presidente americano (que será eleito este ano) possa aprovar uma proposta viável e que seja para o bem de todos e felicidade geral da nação. Entretanto, há brasileiros que já comentaram com nossa redação que é possível haver uma debandada geral, caso não haja um programa imigratório para o próximo ano de 2009.

Sem dúvida, o aumento no preço da gasolina fez muitos duvidarem de um futuro promissor numa América quase falida e em tumulto econômico. Além disso, o Bom Dia Brasil da TV Globo Internacional, além de outros programas jornalísticos da emissora, têm apresentado vários segmentos, com matérias positivas alusivas à mão de obra em alta agora no Brasil. Isso faz muita gente tremer nas bases e querer logo largar tudo aqui e pegar o primeiro avião.

 

Os que voltaram, já estão voltando

Pouco a pouco, uma legião de brasileiros que tinha deixado a América já encontra novas soluções de "voltar" para as cidades onde anteriormente podiam contar com 3 empregos por semana e faturar bem melhor do que no Brasil.

            Pessoas com formação profissional, como pintores, carpinteiros, cabeleireiros, faxineiras, briqueiros, dishwshers, garçons, entregadores de pizza, corretores de imóveis e muitos outros, não há porque voltar pro Brasil agora. Comparativamente, os preços de viver aqui compensam, em ganhos financeiros. Para Niltinho, de Allston, existe algo, porém, que leva vantagem em todos os quesitos apresentados: saudade dos filhos. Ele está com passagem comprada, mas insiste com os leitores, que, de fato, o melhor lugar é aqui?e agora! Porque, em caso de crise, temos que buscar a solução para crescimento.

 

PREÇOS EM BOSTON

(Média de preço dos três supermercados mais frequentados por brasileiros)

Manteiga -  $2.50 a Libra

Yogurte - $0.70 cada

Queijo americano - $6.99 a Libra

Ovos ? Uma dúzia -  $3.79

Leite ? Meio galão - $2.19 a  $2.79

Feijão Preto ? "bag"de 1 Libra - $ 1.25

Macarrão - $2.79 o pacote de ½ Libra

Arroz ? $1.28 a Libra

Carne para bife ? $6.99 a Libra

Peito de Frango - $5.49 a Libra

 

            PREÇOS NO BRASIL

            (Média de preço nas grandes cidades)

Arroz               1          kg        R$ 1.92 a R$ 2.36

Feijão Preto     1          kg        R$ 3.18 a $4.25 (teve aumento de 125% em 4 anos)

Feijão Manteiga           1          kg        R$ 7.30         

Feijão Fradinho           1          kg        R$ 4.98           

Açucar            1          kg        R$ 1.19           

Café               ½         kg        R$ 4.65           

Macarrão espaguete    R$ 1.65 a R$ 2.06

Leite em caixa 1litro     R$ 1.74           

Pão de Forma Normal R$ 2.45 a R$ 2.98

Pão de Forma Integral R$ 3.29 a R$ 4.85

Ovos Branco 1dz                    R$ 2.79           

Frango             1          kg        R$ 4.28 

Carne bife        1          kg        R$ 8.20         

 

 

Os produtos hortigranjeiros são mais baratos no Brasil, porém nos EUA são melhor apresentadas ao público. Desvantagem: Muitas frutas e legumes são expostos nos Supermercados dos EUA muito tempo antes de estarem prontos para comer. As frutas, de um modo geral, chegam ainda em estado "verde"ou no estado de "quase" prontos para comer. Isto, devido ao fato de que o transporte dessas frutas até a boca do consumidor pode levar até 15 dias, dependendo do Estado e da época do ano. Envie sua experiência com produtos que tenha comprado em estado de "verde" para op@braziliantimes.com

O artigo sobre a história do Market Basket teve que ficar para a semana que vem, galera. É isso aí, se houver mais dúvidas, entrem em contato.

 

Fonte: (Brazilian Times)