Publicado em 26/08/2008 as 12:00am

Padre brasileiro é acusado de assédio em Massachusetts

Segundo jornal, ele nega as acusações e teria fugido para o Brasil depois de ser notificado pela justiça

 éA comunidade brasileira de Cape Cod acordou mais preocupada na manhã do dia 18, quando o jornal Cape Cod Times, estampou entre suas matérias a denúncia de que um padre brasileiro teria sido afastado de suas funções sob a acusação de assédio sexual a um menor no estado de Connecticut.

Segundo o jornal, José Afonso Lima atuava na Igreja de St. Francisco, em Hyannis-Massachusetts, além de outras igrejas.

O jornal afirma, ainda, que o padre teria deixado o país assim que foi notificado da acusação, pelo Departamento de Crianças e Família de Connecticut. José Afonso tem cidadania estadunidense e foi afastado provisoriamente, após a denúncia ter sido encaminhada para a Diocese de Fall River, segundo informações do porta-voz, John Kearns. “Ele negou as acusação, mas nós não somos o dono da verdade”, salienta.

A idade do menor, que supostamente, foi assediado pelo brasileiro não foi revelada e o bispo George Coleman, foi quem informou a comunidade de Fall River sobre o afastamento. A notícia foi dada através de uma carta distribuída durante as missas, neste final de semana.

O bispo está profundamente perturbado diante desse assunto e se diz sabedor de que é um abalo enrome para a comunidade brasileira. “Quero assegurar que estarei orando por cada um dos membros da comunidade onde o padre cuidava”, fala.

Segundo Coleman, o padre brasileiro foi residente em St. Pius X, mas estava atuando como padre titular na igreja St. Francis Xavier, onde tinha um bom grupo de brasileiros frequentando.

Esta acusação deixou todos atordoados, pois “Lima era um homem dedicado ao seu ministério e às pessoas que ele cuidava”, disse o reverendo George Bellenoit, da igreja de St. Pius X. Da mesma maneira pensa Kearns, que diz “não ter nenhuma reclamação do brasileiro com o qual trabalhou durante 10 anos”.

Mesmo o brasileiro tendo sido afastado, não há informações de que exista alguma investigação sobre o caso. “Geralmente, quando uma investigação envolve uma pessoa fora do estado, o departamento de proteção a crianças no estado é contactado. Quando um caso envolve abuso sexual ou exploração de crianças, as autoridades também são contactadas”, explica a reportagem.

Indo mais além, o Cape Cod Times, denuncia que, nos últimos cinco anos, a diocese de Fall River suspendeu as atividades de quatro padres por causa de alegações de abuso sexual. “A política da diocese é afastar os padres acusados durante as investigações”, disse Kearns.

Fonte: (Da redação)