Publicado em 9/09/2008 as 12:00am

Confira como foi o 13º Brazilian Day em Boston

Artistas comunitários, associações e vizinhos fizeram a festa do povo

Por Elizabeth M. Simões

 

A comemoração do 13º Brazilian Day em Boston, realizada no domingo (7), foi um dia perfeito para “unir o útil ao agradável”, assim definiu uma das participantes, a  brasileira Bete Almeida, que encontrou diversão, serviços e informação num único local. Toda infra-estutura preparada para receber dezenas de brasileiros às margens do Charles River, no Artesani Park, em Boston-MA, foi minunciosamente preparada pela organização do Brazilian Women’s Group, com apoio do Consulado Geral do Brazil em Boston e da Massachusetts Alliance of Portuguese Speakers Projeto (MAPS).

Após a execução do Hino Nacional pelo Coral Allegro Brazil e pela soprano Sandra Ferreira todas as atrações que seguiram foram de artistas locais que tiveram a oportunidade de se expressarem para o público, formado, também, por moradores da região. “A festa do Brazilian Day de Boston é como comida caseira, tudo o que é feito em casa, pelas nossas mãos é autêntico e melhor. Gostei da sensação de acomchego e comunidade, principalmente, de ter presenciado o talento dos meus colegas e vizinhos que cantaram, encenaram ou que estiveram ali apenas para mostrar o orgulho de ser brasileiro”, disse Lilia Coelho, líder comunitária e moradora de Brigthon.  

Brindes e folhetos explicativos foram dados nas tendas armadas e cada uma delas representou áreas fundamentais para a adaptação do brasileiro nos Estados Unidos. Por exemplo, Rui Domingos, chefe executivo da  organização sem fins lucrativos, CPCU Credit Union, esteve ao lado de Carlos da Silva para explicar como os imigrantes podem ter acesso a transações bancárias. Bem próximo ao CPCU, estava a tenda da MAPS com uma equipe bem motivada, “Estava procurando algumas informações sobre consultas e exames e eles me mostraram todos os programas, descobri serviços que nem estava procurando, mas que me interessaram na mesma hora”, disse a baby siter Néia dos Santos.

Conforme Norma Malkiel, woman’s supervisora dos programas de saúde da MAPS, o evento é uma oportunidade para que as pessoas possam aprender como exercer completamente a sua cidadania. “Para nós é satisfatório poder conectar os brasileiros a serviços sociais, projetos direcionados para jovens, além de prestarmos ampla orientação nas áreas humanas que conferem qualidade de vida, contemplando saúde, lazer e educação”.     

O pernambucano Sérgio Viana, outreach da Neibohood,  também marcou presença no evento para esclarecer dúvidas sobre seguro saúde. Ele distribuiu, gratuitamente, sacolas ecológicas para que os brasileiros transportem as suas compras de supermercado com comodidade, e ao mesmo tempo, evitando a poluição do ambiente com o uso das sacolinhas plásticas.

Circulando na multidão o ativista comunitário, Júlio Braga indicava a tenda da “National Marrow Donor Program”, ele recomendava que as pessoas fizessem o registro do banco de doadores de medula. “Uma das brasileiras voluntárias nessa tenda está viva porque encontrou um doador de medula. O cadastro do doador é um processo muito simples e rápido. E pode salvar muitas outras vidas”, apelou.

Os interessados em realizar o cadastro ainda podem contatar a “National Marrow Donor Program” através do web site www.marrow.org. No quesito arte cênica, Elisa Garibaldi,  do Grupo Ponto de Partida, mostrou como espetáculo teatral feito por aritstas regionais é capaz de colaborar para formar um conceito positivo acerca da competencia e criatividade dos brasileiros imigrantes.                   

Fonte: (ANBT - Agência de Notícias Brazilian Times)