Publicado em 21/09/2008 as 12:00am

Mãe e filha graduam-se na UB motivadas pela atuação comunitária

No mês de Julho, Rosângela Caputo e Mel Ramos receberam o diploma de formandas na Universidade de Boston. Elas graduaram o curso de paralegal e estão aptas para usar os conhecimentos jurídicos para auxiliar na defensa e representação da comunidade brasile

No mês de Julho, Rosângela Caputo e Mel Ramos receberam o diploma de formandas na Universidade de Boston. Elas graduaram o curso de paralegal e estão aptas para usar os conhecimentos jurídicos para auxiliar na defensa e representação da comunidade brasileira imigrante.

Rosângela descobriu a sua vocação na área de direito após voluntariar-se como intérprete  na cidade de Boston-Massachusetts. No princípio, ela colaborava com atendimento médico e procedimentos legais e burocráticos, do mais simples, como por exemplo, a retirada de carteira de motorista, até os mais complexos, como acompanhamento em presídios.

Toda essa dedicação foi lhe trazendo conhecimento empírico sobre como funcionava o sistema jurídico e as regras da sociedade. Informalmente Rosângela estudava e preparava-se para o que mais tarde, faria parte de seu juramento profissional.

Seguindo uma tradição de família, ela começou apenas exercendo as tarefas voluntariamente, “Sempre me senti no dever de ajudar os meus conterrâneos em todas as àreas que contemplam os direiros humanos. As causas advocatícias já faziam parte das minhas entranhas”, disse Rosângela.

Depois de ajudar uma amiga que foi presa pela imigração, enquanto trabalhava num asilo, Rosângela disse ter despertado definitivamente para a carreira. “Ter uma amiga (silêncio), - Uma pessoa tão próxima a mim, precisando de apoio, fez com que eu ficasse ainda mais envolvida com o sofrimento dos trabalhadores. A partir disso, eu sabia e sentia que tinha que colaborar ativamente com toda a colônia brasileira”, disse Rosângela.

Destacando-se pela exemplar atuação, Rosângela foi convidada por Mário Vilalva, que exercia o posto de cônsul-geral do Brasil em Boston, na década de 90, para fazer parte do programa “Corpo de Cidadãos”, cujo objetivo era promover respaldo civil para os imigrantes. “Depois disso, continuei a servir à lei. Tenho a incubência de representar a nossa comunidade em casos de violência doméstica, divórcio, imigração, acidentes automobilísticos/trabalho, e discriminação social. É gratificante saber que os brasileiros estão amparados legalmente. A minha filha Mel e o meu genro Sanjo Ramos também fazem parte desse ideal comunitário. Tenho orgulho de saber que a minha família está unida e trabalhando pela Justiça”, disse Rosângela.

Rosângela pode ser encontrada no escritório particular SOS Imigrante, para mais informações o telefone é (978) 779-2711.

Fonte: (Da redação)