Publicado em 21/09/2008 as 12:00am

Três notas falsas são pegas em padaria brasileira de Marlboro

Notas falsas de vinte dólares apareceram em Marlboro. A polícia e o serviço secreto já estão trabalhando no caso, porém envolvidos no caso já demonstraram estar atentos para as suspeitas

Está afixada perto do caixa da padaria Delana’s Bakery a nota falsa que algum cliente misterioso usou para pagar pelo seu lanche. É uma nota de vinte dólares, feita de um papel mais fino, mas com a mesma cara. Tanto que na hora da pressa, foi aceita como pagamento.

 

“A gente não notou na hora que pegou,” disse Silvania Zigue, que trabalha na padaria há cinco anos. “A gente só notou na hora de fechar o caixa.”

 

Apesar do susto, Zigue disse que isso não é exatamente novidade por lá.

 

“Já tinha tido duas notas antes e o Edinho ( Edson Delana, o dono da padaria)  entregou pra policia.”

 

“Teve uma nota que a gente perdeu,”  esclareceu Delana. “A outra a gente levou pra polícia.”

 

Segundo Mark Leonard, o chefe da polícia de Marlboro, esse procedimento de entregar as notas é fundamental para o trabalho de investigação, e a polícia,  na verdade, pretende  confiscar todas essas notas questionáveis que estão aparecendo.

 

“Nós já estamos em contato com o serviço secreto,” disse Leonard.  “Se nós ficarmos sabendo que existem várias notas falsas em Marlboro, nós precisamos saber se há alguma semelhança entre elas.”

 

Segundo Zigue, que tem experiência diária com os mais diversos clientes, “as pessoas ficam muito espantadas, não acreditam que existe nota falsa.”

 

Mas o chefe Leonard insiste que é preciso colaboração de todos nessa tentativa de encontrar o criminoso, portanto, é hora de aceitar que há pessoas tentando passar outros pra trás e ficar atento.

 

“Eu sugiro que, se alguém notar uma nota falsa, que  não aceite a nota ( porque certamente vai perder aquele pagamento)  e nos chame imediatamente, disse Leonard. “Pode até ser o caso de alguém que não notou que está usando uma nota falsa.”  A idéia é continuar comparando e ver se há uma pista.”

 

Zigue falou que acha que quem está fazendo isso é algum brasileiro. “Padaria brasileira entra muito brasileiro,” opinou. Mas ela disse que entram também alguns poucos hispanos e americanos, portanto,  qualquer palpite sobre quem está por trás é pura especulação.

 

Normalmente os empregados da padaria usam uma caneta especial para testar as notas de 50 e 100 dólares, mas ainda não tinham se preocupado com as de vinte.  “Se a nota for verdadeira, ela não fica marcada pela caneta,” disse Zigue.

 

Segundo Leonard, de vez em quando aparece uma nota falsa porque as novas máquinas de copiar são cada vez melhores. Mas a preocupação maior é descobrir se o trabalho é de amadores ou de profissionais com máquinas de alta qualidade que permitem cópias mais sofisticadas e portanto, mais difíceis de identificar.

 

Se aparecer um suspeito, a polícia vai usar de recursos como o teste do DNA, disse Leonard.  Se a nota for uma cópia recente, pode ser que poucos tenham tocado o papel e isso é exatamente o que pode ajudar a encontrar o criminoso.

 

Pelo que parece, A Delano’s Bakery não está só entre as escolhas de quem resolveu tentar passar essas notas.  Zigue disse que uma cliente da padaria que trabalha no serviço drive-through do MacDonalds recebeu recentemente uma nota questionável.

 

“ Ela falou no microfone: ‘Just a moment,’ e foi procurar o gerente,” contou Zigue.  “Quem estava dirigindo não esperou nada e ela nem sabe se era homem ou mulher.  Infelizmente não anotou a placa do carro.”

 

Caso você tenha a chance de anotar uma placa, se tiver presenciado alguém com uma nota falsa, pode colaborar com a polícia de forma anônima.  É só ligar para o número (508) 460-3549, do Disk Denúncia, em Marlboro.  Sem bina, ou caller ID,  o chamado não compromete, mas certamente poderá ajudar a polícia.

Fonte: (ANBT - Agência de Notícias Brazilian Times)