Publicado em 30/09/2008 as 12:00am

Seguro-saúde nega atendimento à premiado colunista brasileiro

Há décadas como beneficiado do Mass Health, o seguro-saúde público de Massachusetts, Lucio Tomich acionou a cobertura do seguro para um cirurgia de retirada de um nódulo adiposo que estava comprometendo a sua saúde

        Em maio deste ano, o jornalista e colunista do Brazilian Times, Wolfgang Tomich, viveu um dos momentos mais constragedores da sua vida. Há décadas como beneficiado do Mass Health, o seguro-saúde público de Massachusetts, ele acionou a cobertura do seguro para um cirurgia de retirada de um nódulo adiposo que estava comprometendo a sua saúde. O ‘não’ do seguro , foi o começo de uma batalha de 5 meses , que quase terminou frente à frente na corte judicial.

            Tomich, que há anos sofre de complicações pela sua obesidade, reparou no começo do ano que um nódulo na sua perna direita, no lado da coxa, não parava de crescer. Após consultar com um médico, descobriu que se tratava de uma ‘bola de gordura’ de aproximadamente 10 quilos e que seria a origem de graves problemas para se locomover. Ao informar o plano de saúde que precisaria fazer a intervenção cirúgica para retirada da ‘bola’ com um cirurgião plástico, e receber a negativa da cobertura, viu sua vida se transformar num pesadelo que durou 5 meses. “ Foi uma surpresa, em muitas décadas como associado do seguro, nunca sofri nenhum tipo de constrangimento, ainda mais em se tratando de um cirurgia dessa importância” desabafa Tomich. Segundo o jornalista, num primeiro momento todas as provas de que se tratava de uma cirurgia estritamente ligada à sáude do paciente foram enviadas. “ O meu médico enviou foto do local atingido, relatório de tratamento, justificativa da cirurgia. Já estava mais que provado que seria uma cirurgia sem nenhum objetivo estético, como a seguradora alegava” continua o colunista do BT.

            Após todos esses meses pleiteando o direito à cirurgia, em setembro Tomich resolveu que era a hora de tomar uma atitude extrema. Procurar a Côrte Judicial e ter seus direitos garantidos com o respaldo da lei. “ Não vi outra alternativa. Eles insistiam em não aceitar as provas e justificativas da cirurgia e minha saúde não poderia esperar mais. Porém fui tomado de surpresa quando me ligaram do consultório médico no mesmo dia em que oficializei a solitação à justiça” . O susto se deu pela autorização da Health-Mass em pagar a intervenção cirúrgica após ser noticiada que seria levada à Côrte.  “ Acho que serve de lição para todo brasileiro que reside nos EUA, para não aceitar qualquer negativa. É preciso buscar seus direitos, mesmo que tenha que solicitá-los pelas mãos do orgão judiciário” recomenda  Tomich, que se prepara para realizar a cirurgia em breve.

                     

Outros tempos


            Em 2001, Tomich teve que ser submetido a uma cirurgia de alto risco no estômago. Em uma consulta de rotina ao médico, ele foi informado que algo não estava bem com o seu coração, e que o procedimento deveria ser feito o quanto antes fosse possível. “ Na época nem precisei informar o seguro, assinar nada. Foi um outro tratamento. A cirurgia foi feita no melhor hospital de Boston, com os melhores profissionais e não tive nenhuma ‘dor de cabeça’ relativa a pagamento e aprovação do seguro” diz ele em relação à um tempo onde a situação econômica do EUA era outra, bem mais favorável.

Fonte: (ANBT - Agência de Notícias Brazilian Times)