Publicado em 2/10/2008 as 12:00am

Brasileiros nos EUA dão dicas para eleições no Brasil

No domingo (05) estará acontecendo no Brasil as eleições municipais que escolherão os novos prefeitos e vereadores dos milhares de municípios brasileiros. A votação poderia passar em branco, caso não houvesse tantos brasileiros vivendo nos Estados Unidos

Por Luciano Sodré

 

No domingo (05) estará acontecendo no Brasil as eleições municipais que escolherão os novos prefeitos e vereadores dos milhares de municípios brasileiros. A votação poderia passar em branco, caso não houvesse tantos brasileiros vivendo nos Estados Unidos “mas inflenciando diretamente seus parentes e amigos sobre a maneira correta de escolher os candidatos.

Grande parte do imigrante brasileiro que vive neste país aprendeu, de alguma maneira, “se politizar” e entender que sua participação na política é de suma importância. O cabeleireiro Otononiel Fonseca, 34, mais conhecido Oto, disse que morou muitos anos na área rural de Governador Valadares. “Mesmo não sabendo falar direito o idioma português, hoje (10 anos vivendo nos Estados Unidos) domino perfeitamente o inglês e quando retornar ao Brasil vou concluir meus estudos”, fala.

Para ele, além das oportunidades de ganhar dinheiro, este país oferece chances da pessoa ser tornar influente no meio ondew vive. “Eu leio jornais, assisto televisão e me informo diariamente e desta maneira tenho base para falar e criar minhas próprias opiniões”, complementa.

Ele disse que há dois meses vem estudando o cenário político de Valadares e que sempre que liga para seus familiares e amigo, “dá algum conselho”. Oto disse que todos o escutam, pois hoje é ele quem mantém as despesas da casa e isso o tornou um “patriarca”.

Assim como Oto, outros brasileiros buscam inflenciar de alguma maneira em quem seus parentes irão votar. “Escolher o caminho certo é sinal de que posso trabalhar, aqui, sossegado”, fala Janilton Oliveira, 28.

Ele trabalha como pintor há cinco anos na mesma companhia, na região de Marlboro-Massachusetts, e se diz muito preocupado com o futuro político do Brasil. “Antes eu não me interessava muito, mas aprendi com o povo norte-americano de que todos somos partes de uma engrenagem e se não funcionarmos direito algo sairá errado”, comenta afirmando que o eleitor brasileiro precisa fazer valer o seu direito de escolher o próprio destino.

O conselho que ele dá para os eleitores é para que ajam com consciência e tenham certeza de que um voto errado pode perpetuar a corrupção. “Eu acho fantástico a política norte-americana, pois aqui não acontecem aquelas algazarras como no Brasil”, fala em relação a diferença de se fazer política sem o uso de comícios ou shows musicais de grande porte. “Os americanos não poluem ou sujam as ruas. Eles fazem política baseada em debates e discursos. Isso porque sabem que seu eleitorado é um povo politizado e consciente”, finaliza.
 

Fonte: (ANBT - Agência de Notícias Brazilian Times)