Publicado em 3/10/2008 as 12:00am

Site de relacionamentos criado por brasileiro é 'febre' nos EUA

Depois de decolar o site de relacionamento Largevia.com nos Estados Unidos, o empresário Paulo Roberto Sousa, 51 anos, nascido em Tarumirim, mas radicado em Ipatinga, quer emplacar seu investimento de vez no Brasil.

Por Mariza Médici

Depois de decolar o site de relacionamento Largevia.com nos Estados   Unidos, o empresário Paulo Roberto Sousa, 51 anos, nascido em Tarumirim, mas radicado em Ipatinga, quer   emplacar seu investimento de vez no Brasil.

Desde a entrevista veiculada em jornais do Brasil com o empresário, -   especialista em marketing na internet, o Largevia havia registrado cerca de 98 mil acessos. Paulo Sousa   esteve no Brasil recentemente, exclusivamente para encontro de negócios e, ao divulgar sobre o site , disse que o   número de acessos mais que duplicou.

“O Largevia foi inaugurado dia 1º de fevereiro e 40 dias depois contabilizamos 1.300 usuários cadastrados e um total de acessos que gira em torno de 200 mil”, informa o empresário, que   sonha em desbancar o Orkut, que se popularizou apenas em países em desenvolvimento como Brasil e Índia. Nos Estados   Unidos, segundo ele, os sites de relacionamento mais populares são o MySpace e o Facebook.

Na sua estada no Brasil, Paulo Sousa se encontrou com empresários, inclusive os da região de Minas, para fechar alguns investimentos. A idéia é ampliar os aplicativos do Largevia, como a inserção de uma sala de bate-papo dentro do próprio site. O endereço de acesso ao portal é www.largevia.com. Contudo, quem ainda não é cadastrado pode fazê-lo por meio do link www.largevia.com/sousa. Outro diferencial do site é o sorteio de prêmios. Sempre há algum prêmio para os participantes.

Segundo Paulo Sousa, o acordo com investidores brasileiros não visa  apenas a captação de recursos. “Não estou interessado apenas no capital. Quero que eles agreguem valores. Há um empresário que vai nos disponibilizar um advogado, outro vai trazer 20 milhões de e-mails cadastrados, além de uma comunidade de 4 mil pessoas”, afirma Paulo Sousa.

 

Assédio

Segundo Paulo Sousa, a Google, detentora dos direitos do Orkut, tem  acompanhado a evolução do Largevia. Ainda não houve nenhuma proposta de aquisição, mas a gigante da internet  ofereceu serviços extras ao Largevia. “A Google fornece um serviço gratuito de gráficos para apontar nossa evolução,  mas tem um limite. O nosso foi ultrapassado e ainda continuamos a receber os serviços. Não sei exatamente com que intuito”, indaga o empresário, informando que atualmente o Largevia está avaliado em US$ 2 milhões.

Fonte: (ANBT - Agência de Notícias Brazilian Times)