Publicado em 9/10/2008 as 12:00am

Profissionais do Census 2010 querem ganhar a confiança dos imigrantes

Pode parecer que 2010 está longe, mas não para os profissionais do Censo, ou Census, como se diz por aqui. Eles já lançaram a grande campanha para envolver toda a população na contagem dos habitantes de Massachusetts e do país

Por Miryam Wiley

 

Pode parecer que 2010 está longe, mas não para os profissionais do Censo, ou Census, como se diz por aqui. Eles já lançaram a grande campanha para envolver toda a população na contagem dos habitantes de Massachusetts e do país.

 

E como de outras vezes, a pergunta permanece: será que os imigrantes indocumentados vão se deixar contar? Será que vão mesmo responder aos questionários sem medo de revelar as suas identidades?

 

Segundo Kathleeen Ludgate, diretora do Censo na área de Boston, ninguém precisa se preocupar porque o Censo não tem nenhuma ligação com a imigração. Essa é uma questão antiga e mais uma vez os profissionais envolvidos querem fazer tudo o que for possível para adquirir a confiança da população.

 

“Nós prometemos absoluta confidencialidade,” disse Ludgate na segunda-feira, 6 de outubro, a imigrantes de várias nacionalidades reunidos no Restaurante China Pearl em Chinatown, Boston. “Ninguém precisa se preocupar porque as respostas são usadas apenas para o Censo.”

 

O programa foi organizado pelo Commonwealth Seminar – aquele que ensina aos imigrantes como funciona o governo, com um curso de seis semanas que acontece várias vezes por ano.

 

“O orçamento do estado está diretamente ligado ao censo,” disse Marc Draisen, diretor executivo do Conselho Metropolitano de Planejamento ( Metropolitan Area Planning Council), também presente ao evento.  “New England está crescendo e há pelo menos 20 programas importantes que estão diretamente ligados à contagem da população.”

 

Draisen estava se referindo a nomes conhecidos como Medicaid e Foster Care, para saúde de idosos e cuidados com crianças que precisam de lugar para morar, respectivamente, assim como recursos para construção e conserto de estradas e programas comunitários que dependem de recursos chamados Community Development Block Grants, e o Programa de Nutrição para Mulheres e Crianças de várias idades.

 

Segundo dados do MACP, um relatório de 2001 registrou a possível  perda de 58 milhões de dólares entre 2002 e 2012 como resultado de contagem inferior ao número real de habitantes de Suffolk County no Censo do ano 2000.  ( Suffolk County inclui as cidades: Allston, Boston, Brighton, Charlestown, Chelsea, Dorchester, East Boston, Grove Hall, Hyde Park, Jamaica Plain, Mattapan, Revere, Roslindale, Roxbury, South Boston, West Roxbury, Winthrop. )  Da mesma forma, a representação política de Massachusetts pode mudar se o número de habitantes demonstrado for menor, porque o numero de deputados tem a ver com o número de habitantes.

 

Joel Barrera, um dos fundadores do Commonwealth Seminar, foi claro no texto do convite do evento em Chinatown.

 

“O Censo de 2010 vai determinar nossa representação política em Washington D.C e nós estamos correndo o risco de perder dois lugares no Congresso.  E o que é mais importante, quase todos os programas federais se baseiam nos números do Censo para determinar a distribuição de recursos para os estados e para as comunidades.”

 

A contagem exige a participação de todos,  inclusive as pessoas que moram de aluguel e as pessoas que alugam um espaço considerado ilegal, ou sub-rent, como se diz em inglês.

 

“Muitos não vão querer contar onde moram, porque não querem correr riscos,” disse Holly St Clair, do MAPC. “Mas nós precisamos dessa participação de todos e não há riscos.”

 

Como o Censo vai oferecer várias oportunidades de trabalho temporário, os líderes esperam que esteja aí a chance pra conseguir representatividade nos meios imigrantes, mas só podem qualificar para as diversas posições as pessoas que têm cidadania americana.

 

Ludgate falou sério que precisa da ajuda de todos.

 

“ Parcerias com a comunidade são fundamentais pra se conseguir fazer esse trabalho de contagem,” disse. “Um dos grandes desafios é que nós temos uma crescente população imigrante e com isso, um aumento no número de línguas faladas no país.”

 

Ludgate disse ainda que os questionários do Censo  vão ser feitos em apenas cinco línguas – espanhol, chinês, coreano, vietnamês e russo.  Mas eles terão assistência para os questionários em 57 línguas.

 

O brasileiro Júlio Braga, que trabalha como conselheiro para adolescentes-pais,  em  Somerville, enfatizou a Ludgate essa participação de pessoas da comunidade como a única maneira de se obter a confiança dos imigrantes.

“Os brasileiros só vão responder se a pessoa do Censo for alguém em quem confiam,”disse. “A (ameaça de agentes) da  imigração afetou muito a comunidade. Se (os profissionais do Censo) não tiverem as questões em português vai ser um erro. E nós temos uma população enorme. O jogo em Foxboro teve 80, 000 pessoas.  Foi um recorde. Mas contar esse pessoal está difícil porque até quando alguém precisa pedir socorro fica com medo.”

 

Heloísa Galvão, diretora executiva do Grupo Mulher Brasileira, disse que não concorda com a falta de opção para os brasileiros na hora de preencher os formulários. ”O mais importante é a inclusao da categoria/etnia brasileiro(a) nos dois formulários,”  disse Heloísa, depois do evento. “Sem isso a gente continua invisível e daí, pra que responder?”

 

Cidadãos americanos interessados em trabalhar no Censo devem checar o site www.Census.gov/2010censusjobs  ou ligar para 866-861-2010   E os interessados em serem ouvidos na questão de incluir a palavra “brasileiro(a)” podem certamente tentar um contato através do mesmo web site.

Fonte: (ANBT - Agência de Notícias Brazilian Times)