Publicado em 12/10/2008 as 12:00am

Paróquia de Santo Antonio celebra o dia de Nossa Senhora Aparecida

No domingo (12), cerca de mil pessoas estiveram na igreja de Santo Antônio, na cidade de Brighton-Massachusetts, para a celebração religiosa à Nossa Sra. Aparecida. O padre Eduardo Marques presidiu a missa em louvor ao dia da padroeira do Brasil

Por Elizabeth Simões

 

No domingo (12), cerca de mil pessoas estiveram na igreja de Santo Antônio, na cidade de Brighton-Massachusetts, para a celebração religiosa à Nossa Sra. Aparecida. O padre Eduardo Marques presidiu a missa em louvor ao dia da padroeira do Brasil.    

Um grupo formado por quarenta pessoas ajudou a preparar a cerimônia da coroação da imagem de Nossa Sra. Aparecida e na sequência um almoço de confraternização. “Fiquei muito feliz em testemunhar como as pessoas foram tocadas profundamente durante a solenidade”, disse o padre Marques.

Marques comentou ainda, sobre a satisfação que sentiu pela união dos catequistas, jovens e outros voluntários que empenharam-se nos preparativos da ocasião, “As raízes do povo brasileiro estão sendo mantidas mesmo distante do país.”, disse. “A devoção da Virgem Maria é importante para vivenciar a fé”, continuou.

Recordando o momento de expectativa e dúvida dos imigrantes sobre a economia mundial, Marques acrescentou que este é um momento para fortificar a fé. “Nenhuma crise, nem perseguição podem abalar a nossa fé quando nós carregamos Deus no coração.”, concluiu.

 

História de Nossa Senhora Aparecida – Selma Damasceno, de Engenheiro Caldas-MG, há 15 anos nos EUA, faz parte da liturgia da Igreja de Santo Antônio e leu para os fiés a pesquisa coordenada pela catequista Angélica Santos, também nascida em Minas Gerais. “Em 1717 os pescadores Domingos Garcia, Felipe Pedroso e João Alves resgataram a imagem de Nossa Sra. de suas águas. Eles subiam ao rio (refere-se ao Rio Paraíba, cuja nascente está localizada em São Paulo) e lançavam as redes sem muito sucesso, próximo ao porto de Itaguaçu, até que recolheram o corpo da imagem. Na segunda tentativa, trouxeram a cabeça e a partir desse momento, os peixes pareciam brotar ao redor do barco”, repetiu Damasceno.

 

Ela foi abençoada duas vezes – Angélica Santos, nascida em Governador Valadares, contou que, trinta dias antes da celebração havia rezado uma novena para Nossa Sra. Aparecida, “Eu pedi com muita fé e alcancei a graça”, disse. “Tudo aconteceu de maneira conectada, o meu pedido foi realizado e no exato momento em que estava pensando como retribuir a benção, fui convidada pela coordenadora da catequese, Silva Neide, durante uma das nossas reuniões, para realizar uma representação teatral da história de Nossa Sra. Aparecida. Começei a escrever e logo pensei em criar um manto que pudesse passar tocando todas as pessoas, antes de chegar ao altar”, comentou.

Depois de dizer que essa já era a segunda graça recebida, a mineira recomendou, “Não adianta acender um monte de velas e não estar com a mente direcionada lá. Tem que pedir com fé e com o coração. Acredite, a fé move tudo!”. Embora ela não tenha aceitado revelar quais foram os seus dois pedidos, disse que tratava-se de assuntos familiares.

O discurso lido por Selma Damasceno, durante a cerimônia de coroação da imagem de Nossa Sra. Aparecida, foi escrito por Angélica da Silva e fazia menção aos imigrantes. “Este manto abençoado cobrirá e protegerá todos os seus filhos no mundo inteiro e especialmente nos Estados Unidos. (...) Cobre mãe aqueles que estão enfermos, aqueles que estão na prisão, (...), os que sofrem agora: depressão, dor, desentendimento, discriminação, saudades”, esses foram alguns dos trechos lidos.    

Fonte: (ANBT - Agência de Notícias Brazilian Times )