Publicado em 16/10/2008 as 12:00am

Jornada de mineiro para atravessar o México vira livro

De carona em carona Marco Aurélio cruzou onze fronteiras. No percurso, viveu aventuras arriscadas e sobreviveu a um terremoto

Por Elizabeth M. Simões

 

“Boom, o ônibus parou imediatamente, do lado de fora as pessoas corriam com se estivessem subindo uma ladeira, mas que ladeira era essa? Se tudo em volta era plano. De repente, as mesmas pessoas recuavam desequilibradas numa marcha bizarra de costas. Tudo ficou mais confuso quando, do outro lado da janela um prédio rangia e ameaçava tombar. Na rua, era como pisar numa canoa, não poderia ser chão, porque balançava de um lado para o outro, o asfalto abriu-se bem debaixo dos pés e no alto a fiação arrebentava-se causando flashes de eletricidade e lampejos de fogos. De volta ao ônibus, para morrer com os outros: O mundo acabou!”.

Marco Aurélio fechou os olhos e resignou-se, “estou morto”, colocou as mãos na cabeça repetindo os mesmos movimentos que fez em 1995, durante o terremoto de Puerto Vallarta, no México. Em frente à mesa de entrevistas da redação do jornal Brazilian Times, Marco abriu os olhos devagar, parecia ter acordado de um transe, as lembranças ainda o comoviam. “Eu estava tocando o meu violão e cantando para os turistas no ônibus, em troca de alguns pesos e nem desconfiava que aquele estrondo, parecido como uma simples batida de automóvel, fosse revelar um terremoto tão forte.

“Do Brasil aos EUA de carona”- O cantor e compositor Marco Aurélio, de Ipatinga, Minas Gerais, escreveu o livro “Do Brasil aos EUA de carona”, uma obra poética que narra a sua jornada por onze fronteiras até chegar aos EUA. “Eu estava obcecado. A minha vida na terra dependia dos EUA. Não era mais por trabalho ou dinheiro, era por ter me convencido que eu pisaria aqui”, disse Marco.

O plano era simples, pegar uma muda de roupa e a velha bicicleta para pedalar pelas Américas, mas em pouco tempo, Marco abandonou o seu veículo no caminho e passou a pedir carona na beira da estrada. Oito anos fazendo o mesmo gesto até o destino final, porém, com mais um imprevisto, Marco, que há pouco tempo havia escapado de uma doença grave, foi preso por oficiais norte-americanos na fronteira.

Seu amigo, Odair Pires, também mineiro, ouviu essa e outras dezenas de histórias da travessia de Marco e decidiu apoiá-lo para contá-las num livro. Odair no Brasil, e Marco em Somerville-MA, escreveram simultaneamente as 300 páginas de uma aventura exageradamente audaciosa e persistente.

Em breve o livro será lançado nas lojas brasileiras de Massachusetts, para mais informações ligar no telefone 978 408-1601.     

Fonte: (ANBT - Agência de Notícias Brazilian Times )