Publicado em 21/10/2008 as 12:00am

Pai de brasileiro morto nos EUA é acusado não pagar funeral do filho

O paranaense Luiz Carlos Martins, pai de André Martins, brasileiro morto à tiros pela polícia norte-americana enquanto tentava fugir de uma blitz em julho, é acusado de negar ajuda no pagamento das despesas funerárias do filho.

Por  Marcelo Zicker

 

O paranaense Luiz Carlos Martins,  pai de André Martins, brasileiro morto à tiros pela polícia norte-americana enquanto tentava fugir de uma blitz em julho, é acusado de negar ajuda no pagamento das despesas funerárias do filho.

Segundo Marlene Campos, sogra do rapaz, as dívidas provenientes do velório chegam a $8.700, e tudo que receberam até agora de Luiz Carlos foi um cheque de $50. “ Conseguimos pagar uma parte dessa dívida, mas ainda falta muito dinheiro a ser quitado. Não sei de onde vamos tirar todo esse dinheiro, eu e minha filha estamos desesperadas” afirma ela, que está saindo do atual ofício e estará desempregada em alguns dias.  Também sem emprego, a filha Camila Campos, com quem André teve dois filhos, ainda não superou a perda do namorado e divide seu tempo na procura por trabalho e consultas ao psicólogo. “ Foi um ‘baque’ muito grande, minha filha e meus dois netos fazem terapia para tentar voltar a viver normalmente, mas está sendo muito difícil para eles. Camila já perdeu 19 libras desde o acontecido, os médicos já até aumentaram a dosagem dos seus remédios para acalmá-la. Nao sei o que fazer, ela chora todos os dias ao pensar em tudo que aconteceu” desabafa Marlene.   

Em agosto, quando desembarcou em Massachusetts para o velório do filho, Luis Carlos “ demonstrou total falta de interesse nos detalhes do caso e indiferença com relação às contas do velório” revela Marlene. “ Ele não quis saber de nada, não se mostrou interessado. Não perguntou como fizemos o velório, como pagamos. Foi um simples figurante. No Brasil, ele foi em programa de televisão, divulgou a conta pessoal dele para doações, fez um estardalhaço para depois não contribuir com nada. E esse dinheiro doado, onde está ? ” questiona.


Outro lado

O Brazilian Times conseguiu falar com Luiz Carlos Martins no Brasil, em Itapejara, Paraná, onde reside. Se defendendo das acusações, ele afirmou que tudo não passa de desentendimentos pessoais. “Tudo que pude fazer eu fiz. Tentei trazer minha ex-esposa ( mãe de André) pro funeral, e acompanhei tudo com o pesar de um pai que perdeu o filho. Elas nem me deixaram ver o advogado dos meus netos” afirma. Quanto ao fato de ter iniciado uma campanha de doação de dinheiro para levar o corpo para ser velado no Brasil, ele diz que utilizou o pouco que foi arrecadado no custeamento da sua viagem aos EUA. “ Quando a campanha de doação foi divulgada no programa da Sônia Abrão,  pouco mais de  $1.500 reais foram arrecadados., e como o corpo do meu filho não foi velado no Brasil, esse valor serviu para ajudar na minha ida ao encontro do André” se defende.


Relembrando o caso

O pintor André Luiz de Castro Martins, 25 anos, natural de Curitiba, morreu na madrugada do dia 27 de Julho em West Yarmouth, Massachusetts, nos Estados Unidos. Ele foi baleado por um policial quando estava no carro com a noiva, Camila Campos.

Ao fugir de uma blitz,  o veículo do brasileiro, um modelo Ford Lincoln, foi  perseguido durante 90 segundos, até a viatura bater no carro.

Segundo o jornal The Boston Globe, André foi socorrido, mas morreu na ambulância, a caminho do Hospital Cape Cod, na cidade de Hyannis.

Desde 2001 nos Estados Unidos, o brasileiro possuía um visto de turista, que já estaria vencido.

Fonte: (ANBT - Agência de Notícias Brazilian Times)