Publicado em 14/11/2008 as 12:00am

Quadros de pintora brasileira foram roubados

A engenheira civil Maria Rosária Jardim estava suficientemente surpresa porque, de repente, descobriu que sabia pintar

Por Miryam Wiley

 

A engenheira civil Maria Rosária Jardim estava suficientemente surpresa porque, de repente, descobriu que sabia pintar.  Mas teve ainda uma surpresa maior quando, ao chegar à sua própria exposição na Biblioteca de Lynn, na semana passada, notou que dois quadros tinham desaparecido.

“Meus amigos já gozaram demais com a minha cara por causa disso,” disse a bem-humorada Maria. “Parece obra de gente famosa.” Segundo Maria, o ladrão dos quadros tomou as devidas precauções para não ser descoberto muito depressa. Levou duas marinhas que estavam expostas em cavaletes, mas fez questão de deixar nos seus lugares quadros tirados de outras áreas, evitando assim a surpresa para quem passasse por perto.

“Eu acho que deve ter sido no último dia,” disse Maria, que vendeu nove quadros entre os 30 que pintou para a exposição.

Conforme reportagem no Brazilian Times dia 30 de outubro, Maria nunca tinha pintado, mas resolveu experimentar a arte num centro para a terceira idade na cidade de Swampscot. Tudo aconteceu sem nenhum plano quando ela foi ajudar numa área que já tinha voluntários suficientes e decidiu entrar numa sala onde muitos estavam pintando. Maria pegou pincel e tela e ficou impressionada com “a facilidade com que a pintura começou a sair.”

Incentivada por amigos – e certamente ciente de que estava começando a trilhar o caminho de seu pai, pintor Artur Cândido Jardim -- Maria dedicou-se à arte intensamente e expôs seus quadros na biblioteca de Lynn para compartilhar a novidade, Embora a intenção não fosse de vendas, “muitas pessoas reservaram os quadros e deixaram seus telefones demonstrando interesse” em comprar as obras de arte.

“A exposição ficou bonita demais,” disse Maria, entusiasmada. Mas a novidade gerou também um contato com a polícia para fazer a ocorrência do roubo. “Eles falaram que é muito difícil conseguir saber quem fez isso,” disse Maria, que não perde o senso de humor quando conta o caso.

“É uma sensação boa, porque a gente vê que alguém gostou tanto que arriscou tirar os quadros num lugar público,” diz. “Vou recomeçar a pintar porque pretendo fazer outra exposição no verão. Muita gente reclamou que não foi por causa do frio.”

Fonte: (ANBT - Agência de Notícias Brazilian Times)